Financeiro

Ação da Raízen fecha em queda de 2,16% em pregão de estreia na bolsa


InfoMoney - 06 ago 2021 - 09:30

As ações da Raízen, joint venture entre Shell e Cosan, tiveram uma estreia volátil na bolsa brasileira nesta quinta-feira, 5. Na máxima do dia, o ativo RAIZ4 chegou a subir 2,7%, a R$ 7,60, mas o papel virou para perdas, também acompanhando o noticiário doméstico mais negativo, e fechou em baixa de 2,16%, a R$ 7,24.

A companhia precificou sua oferta inicial de ações a R$ 7,40 por papel na última terça-feira, movimentando R$ 6,9 bilhões, no maior IPO do ano na B3.

O montante incluiu a oferta base de 810,811 mil ações preferenciais, mais os papéis suplementares, no total de 121,622 mil. A empresa e coordenadores optaram em não exercer o lote adicional de até 162,162 mil ações.

O preço fixado saiu no piso da faixa estimada para o IPO, que ia até R$ 9,60, segundo publicado no website da Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

De acordo com a companhia, os recursos captados na oferta serão utilizados para a expansão da produção de produtos renováveis, sendo 80% utilizados para a construção de novas plantas e ampliação da sua capacidade de comercialização.

O restante será dividido entre investimentos em eficiência e produtividade dos parques de bioenergia e em infraestrutura de armazenagem e logística, que possibilitam à empresa suportar o aumento esperado no volume comercializado de renováveis e açúcar.

BTG Pactual, Citi, Bank of America, Credit Suisse, Bradesco BBI, JPMorgan, Santander Brasil, XP Investimentos, HSBC, Safra e Scotiabank coordenaram a oferta, exclusivamente primária.

Com informações da Reuters


Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail

Card image


x