PUBLICIDADE
BN novacana 1300x150
Indústria

Com recapitalização, acionistas da espanhola Abengoa ficarão com 5% da empresa

Plano de reestruturação do grupo de engenharia e energias renováveis espanhol prevê um perdão de 97% da dívida


NovaCana - 12 ago 2016 - 09:06

O grupo espanhol de energias renováveis Abengoa, ameaçado de quebra, anunciou nesta quinta-feira a conclusão de um acordo de recapitalização e reestruturação de sua dívida com seus credores e dez fundos de investimentos.

Baseada em Sevilha, a companhia, que acumulou enormes dívidas após fazer empréstimos para financiar um acelerado plano de expansão, vem negociando com os credores desde novembro passado.

Em comunicado, a Abengoa anunciou que o acordo propõe converter 70% de seus créditos atuais em 40% do capital da empresa reestruturada.

Com isso, a empresa recebeu da justiça um prazo de até o fim de outubro para ter até 75% de seus credores apoiando a proposta. Esse é o prazo em que termina o processo de proteção aos credores instaurados desde o ano passado.

De acordo com comunicado da companhia, após negociações com bancos e hedge funds, a Abengoa vai receber uma injeção de dinheiro de 1,169 bilhão de euros.

O valor inclui o refinanciamento de empréstimos recebidos nos últimos meses por parte de uma série de fundos (Abrams Capital, The Baupost Group, Canyon Capital Advisors, Centerbridge Partners, the D. E. Shaw group, Elliott Management, Hayfin Capital Management, KKR Credit, Oaktree Capital Management y Värde). Em troca do refinanciamento, os fundos passarão a controlar 50% do capital de Abengoa.

A injeção de dinheiro ficará completa com novas linhas financiamento, nas quais as entidades financiadoras neste segmento de recapitalização terão direito a 5% do capital da empresa.

Em um comunicado enviado à Comissão Nacional do Mercado de Valores (CNMV) espanhola e noticiado pela agência EFE, a empresa de engenharia e energias afirmou que no que diz respeito à reestruturação da dívida, o acordo prevê um alívio de 97% e o refinanciamento a dez anos dos 3% restantes. No entanto, os credores que concordem ao plano de reestruturação poderão optar por "condições alternativas".

Depois de finalizado este processo, os atuais acionistas da Abengoa verão reduzida a sua participação na empresa a 5% do capital, porcentagem esta que pode aumentar até mais 5% caso liquidem todos os novos créditos em prazo de oito anos.

Isto significa que o atual principal acionista da companhia – a Inversión Corporativa, onde estão agrupadas as participações da família Benjumea e de outros sócios fundadores – passará de uma posição de 50,5% no capital da empresa a pouco mais de 2,5%.

novaCana.com
Com informações da Agence France-Presse, Reuters e Agência Lusa

Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail

PUBLICIDADE
Card image


x