Etanol

Presidente do conselho da Copersucar critica falta de estímulo a etanol


Isto É Dinheiro - 26 mar 2014 - 10:50 - Última atualização em: 12 set 2014 - 09:32

O presidente do Conselho de Administração da Copersucar, Luís Roberto Pogetti, criticou a atual falta de estímulo à produção de etanol no Brasil. "Estamos sem atratividade para novos investimentos", afirmou durante apresentação no Global Agribusiness Fórum, realizado em São Paulo.

A Copersucar é a maior comercializadora de açúcar do mundo e, na área de etanol, tem 47 usinas produtoras sócias e de cerca de 50 unidades não-sócias.

A principal crítica de Pogetti diz respeito ao que ele chama de distorção de preço entre a gasolina e o etanol. Isso porque o governo federal, em sua política de controle de preços, tem segurado o aumento do preço da gasolina, reduzindo a diferença de valor na bomba entre os dois combustíveis.

Segundo Pogetti, a atual situação já levou ao fechamento de 44 usinas no País e à perda de 30 mil empregos - hoje o setor emprega cerca de 1,2 milhão de pessoas -, além da redução das margens e aumento do endividamento.

A situação financeira, lembra Pogetto, tem limitado os investimentos. Para ele, isso seria importante para reduzir a dependência externa. Segundo ele, sem novas refinarias de petróleo, o Brasil aumentou a importação de gasolina em 25% no ano passado, em um total de U$ 2,5 bilhões. "Em vez de buscarmos uma solução local, estamos gerando emprego e renda no exterior", afirmou.

O presidente do conselho da Copersucar lamenta o fato do etanol não ter sido incluído nas ações de eficiência de motores, um dos itens do programa federal Inovar Auto.

Ana Paula Ribeiro