Etanol

Presidente do conselho da Copersucar critica falta de estímulo a etanol


Isto É Dinheiro - 26 mar 2014 - 10:50 - Última atualização em: 12 set 2014 - 09:32

O presidente do Conselho de Administração da Copersucar, Luís Roberto Pogetti, criticou a atual falta de estímulo à produção de etanol no Brasil. "Estamos sem atratividade para novos investimentos", afirmou durante apresentação no Global Agribusiness Fórum, realizado em São Paulo.

A Copersucar é a maior comercializadora de açúcar do mundo e, na área de etanol, tem 47 usinas produtoras sócias e de cerca de 50 unidades não-sócias.

A principal crítica de Pogetti diz respeito ao que ele chama de distorção de preço entre a gasolina e o etanol. Isso porque o governo federal, em sua política de controle de preços, tem segurado o aumento do preço da gasolina, reduzindo a diferença de valor na bomba entre os dois combustíveis.

Segundo Pogetti, a atual situação já levou ao fechamento de 44 usinas no País e à perda de 30 mil empregos - hoje o setor emprega cerca de 1,2 milhão de pessoas -, além da redução das margens e aumento do endividamento.

A situação financeira, lembra Pogetto, tem limitado os investimentos. Para ele, isso seria importante para reduzir a dependência externa. Segundo ele, sem novas refinarias de petróleo, o Brasil aumentou a importação de gasolina em 25% no ano passado, em um total de U$ 2,5 bilhões. "Em vez de buscarmos uma solução local, estamos gerando emprego e renda no exterior", afirmou.

O presidente do conselho da Copersucar lamenta o fato do etanol não ter sido incluído nas ações de eficiência de motores, um dos itens do programa federal Inovar Auto.

Ana Paula Ribeiro

Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail