PUBLICIDADE
boletim boletim
Política

Temer pede à China fim de sobretaxas a frango e açúcar e abertura a processados de soja

Presidente ressaltou que houve receptividade à proposta por parte de Xi Jinping, e que durante o encontro também foram mencionados programas de privatização e concessões públicas


O Estado de S. Paulo - 26 jul 2018 - 08:36 - Última atualização em: 26 jul 2018 - 11:00
imae intro
Primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, Presidente da China, Xi Jinping, Presidente da África do Sul, Cyril Ramaphosa, Presidente da Rússia, Vladimir Putin, e Presidente do Brasil, Michel Temer

O presidente da República, Michel Temer, afirmou nesta quinta-feira, 26, que pediu ao líder da China, Xi Jinping, que retire a sobretaxa sobre exportações brasileiras de carne de frango e açúcar no país. Temer também apelou ao chinês para que abra o mercado a produtos derivados de soja processados, como óleo e farelo. Segundo ele, houve receptividade à proposta.

“Voltamos a tratar do aumento da cota de açúcar e do frango. Pedimos a ele (Xi Jinping) que deixe um pouco de lado, digamos, a sobretaxa que houve em relação ao frango e ao açúcar, para que possamos aumentar nossas exportações”, disse Temer, após deixar a reunião bilateral com o líder chinês na África do Sul, pouco antes da abertura da 10.ª Cúpula dos Brics.

As salvaguardas ao açúcar foram colocadas pela China em maio de 2017, com a imposição de taxa extra de 40% sobre as importações do Brasil. Como resultado, elas derrubaram em 86% as vendas de produtores nacionais para a China. O país é o destino de 10% das exportações de açúcar brasileiras.

O presidente ainda apontou que o Brasil exporta muita soja para a China, porém, trata-se de soja em grão. “O que nós queremos, e ressaltei isso ao presidente Xi Jinping, é mandar os elementos processados, ou seja, óleo de soja e farelo de soja, o que naturalmente permite a industrialização no nosso País. E ele recebeu muito bem essas ideias. Concordou e vai mandar os técnicos examinarem. Essa é uma questão técnica. Não senti resistência”, afirma.

Temer destacou que a reunião bilateral de hoje foi o quinto encontro de negociação entre os líderes do Brasil e da China, no qual tratam principalmente das exportações de produtos agrícolas.

O presidente contou ter mencionado na reunião bilateral os programas de privatização e concessões públicas e pedido aumento de investimentos privados chineses, principalmente nos leilões previstos de distribuidoras de energia elétrica da Eletrobrás.

“Mencionei também a questão das concessões e privatizações que estamos fazendo, os investimentos chineses já existentes e outros, que ele disse que vai colaborar muito para investir bastante lá (no Brasil). Ferrovias, portos, aeroportos, linhas de transmissão e agora distribuidoras de energia”, afirmou Temer.

Conforme o Itamaraty, no encontro também foi abordada a instalação do Escritório Regional das Américas do Novo Banco de Desenvolvimento do Brics (NBD), cujo acordo será assinado ainda nesta quinta-feira na cúpula. A sede será em São Paulo e haverá um escritório de representação em Brasília.

Felipe Frazão e Célia Froufe
Com informações adicionais da Folha de S. Paulo


Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail

PUBLICIDADE
STOLLER
x