Política

Projeto apresentado na Câmara busca a criação de um novo Proálcool


EPBR - 19 jun 2020 - 08:18

Nesta quarta (17), o deputado José Mário Schreiner (DEM-GO), uma das lideranças da bancada do agronegócio, protocolou uma espécie de reedição do Proálcool. Ele pretende determinar, por lei, um programa federal de quinze anos para elevar consideravelmente o consumo de etanol na frota brasileira de veículos leves.

Schreiner quer eliminar a diferença de competitividade entre o etanol hidratado e a gasolina comum, obrigando as montadoras a elevar a eficiência dos motores flex até 2030 e a converter toda a frota brasileira de leves e utilitários (ciclo Otto) para veículos exclusivamente movidos a biocombustíveis até 2035.

O projeto também quer determinar que motores de veículos elétricos devem, prioritariamente, possuir célula de biocombustível.

As metas de transição do consumo de combustível na frota brasileira, propostas por Schreiner, estabelecem que carros entre 1.600 e 1.800 cilindradas devem usar exclusivamente biocombustíveis até 2030. Para veículos entre 1.400 e 1.600 cilindradas, o prazo é 2033. Desta forma, o prazo final – 2035 – aborda principalmente veículos com menos de 1.400 cilindradas.

Além disso, as fabricantes devem comprovar aumentos de eficiência nos motores flex, com o rendimento a etanol sendo a equivalente a 75% na comparação com a gasolina até 2027. Em 2028, o índice deve chegar a 80%; em 2029, a 90%; e em 2030, a 100%.

“Os governos federal e estaduais deverão desenvolver mecanismos e programas de incentivo e financiamentos, para produção de etanol e demais fontes de energias renováveis, visando garantir o abastecimento veicular do mercado interno”, diz o projeto.

Gustavo Gaudarde
Com informações adicionais novaCana.com


Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail