BASF
Política

Mourão diz que governo Bolsonaro pode privatizar a BR Distribuidora

Após os comentários de Mourão, as ações da BR Distribuidora subiram mais de 6%


O Globo - 14 nov 2018 - 06:53

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, quer privatizar a BR Distribuidora, unidade de distribuição controlada pela Petrobras, disse o vice-presidente eleito, general Hamilton Mourão, em conferência com investidores em Nova York nesta terça-feira.

No segundo semestre do ano passado, a Petrobras, na então gestão de Pedro Parente, colocou a BR Distribuidora no plano de desinvestimento da companhia. A ideia era vender parte da empresa para um investidor estratégico, que poderia ser minoritário ou majoritário, abrindo mão do controle. A outra alternativa era vender parte das ações no mercado. Após meses de estudo, a estatal decidiu fazer uma oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês). A operação, realizada em dezembro do ano passado, foi a maior desde 2013, levantando R$ 5 bilhões com a venda de parte dos papéis.

Com a operação, a estatal se desfez de 28,75% das ações da subsidiária, que passaram a ser negociadas no Novo Mercado, principal segmento da Bolsa de Valores de São Paulo (a B3), onde só há ações ordinárias (ON, com direito a voto). O negócio fez parte do plano de desinvestimentos de US$ 21 bilhões para o biênio 2017/2018.

Maior rede de postos do país, a BR chegou ao fim do terceiro trimestre deste ano com 8.437 unidades, maior que os 8.212 no mesmo período do ano passado. No terceiro trimestre deste ano, ao divulgar seus resultados financeiros, a BR registrou uma receita de R$ 26,455 bilhões, uma alta de 21,1% em relação ao mesmo período do ano passado. Nos nove primeiros meses a alta chegou a 18,2%, para R$ 72,511 bilhões.

Com a alta no volume de combustíveis vendidos no país, a companhia registrou um lucro líquido de R$ 1,078 bilhão no terceiro trimestre, uma alta de 173,6%. No ano, o avanço chegou a 156,1%, para R$ 1,588 bilhão.

Bruno Rosa
Com informações da Reuters