BASF
Política

Se EUA querem nosso açúcar, podem comprar; senão tem quem quer, diz Guedes


UOL - 19 mar 2019 - 07:03
Em Washington, ministro Paulo Guedes defende que Brasil negocie com outros parceiros comerciais, como a China

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse em apresentação a empresários americanos no Brazil Day, em Washington (EUA), que o Brasil vai buscar parceiros comerciais que tenham interesse em contrapartidas.

“Se [os EUA] quiserem nosso açúcar, podem comprar. Se não quiserem, tudo bem, tem gente no mundo todo querendo comprar. E é assim que vamos dançar”, disse.

Guedes defendeu a possibilidade de o Brasil negociar com outros parceiros, como a China. “Vemos vocês [americanos] negociando com chineses há décadas. Por que não nós? Os chineses investem muito aqui [nos EUA]. Por que não podemos deixá-los investir em nossas ferrovias?”.

Ele também se posicionou a favor de um acordo comercial de mão dupla entre Brasil e EUA. “Vendam etanol de milho para nós, mas comprem nosso açúcar, nossa carne”.

Guedes ainda pediu que os EUA apoiem a entrada do Brasil na Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE).

“Por favor, ajudem que entremos na OCDE, porque assim entramos na 'primeira divisão' e reforçamos as políticas públicas. Vamos pensar que somos parceiros estratégicos para o futuro”, afirmou.