PUBLICIDADE
BN novacana 1300x150
Política

Bolsonaro volta a atacar Petrobras e culpa empresa por alta nos combustíveis

Presidente discursou na Feira Nacional da Soja, em Santa Rosa; governo federal é o maior acionista e fatura bilhões com o desempenho da estatal, que pratica preço internacional


G1 - 09 mai 2022 - 08:49

O presidente Jair Bolsonaro (PL) voltou a atacar a Petrobras em discurso na Feira Nacional da Soja, em Santa Rosa, na região norte do Rio Grande do Sul. Após falar para o público sobre responsabilidade da empresa na alta dos preços do diesel e demais combustíveis, ele posou para fotos ao lado de uma colheitadeira e cumprimentou apoiadores.

“Esta semana vocês estão conhecendo um pouco mais do que é a Petrobras aqui no Brasil. Temos nichos, temos redutos ainda em nosso governo espalhados por todo o Brasil que não entenderam que todos nós estamos no mesmo barco. Eles sabem que o Brasil não aguenta mais o reajuste de combustível em uma empresa que fatura dezenas de bilhões de reais por ano às custas do nosso povo brasileiro”, discursou.

A União detém a maioria das ações ordinárias da Petrobras, com 50,3% do total. A estatal adota para suas refinarias uma política de preços que se orienta pelas flutuações do preço do barril de petróleo no mercado internacional e pelo câmbio.

Nos últimos meses, o preço internacional do petróleo tem subido em especial devido às tensões provocadas pela guerra entre a Ucrânia e a Rússia, esse último um dos maiores produtores mundiais de petróleo.

Foi justamente o conflito que motivou Bolsonaro a repetir as acusações à Petrobras. No caminho do palco para o setor de estandes, em resposta à RBS TV, que acompanhava a comitiva presidencial, o presidente repetiu aos jornalistas críticas que já havia citado em uma transmissão ao vivo pelas redes sociais no meio da semana.

“Vocês devem estar sabendo o que eu falei na live, né? Tinha um sentimento de que ia ter novo reajuste no preço. Isso é injustificável pelos números da Petrobras. A Petrobras não está em uma situação de ser independente do Brasil”, criticou.

Bolsonaro afirmou que outras petrolíferas do mundo baixaram a margem de lucro para enfrentar a crise com a guerra na Ucrânia, e diz que espera que a estatal brasileira siga o exemplo.

“A Petrobras é diferente. A Petrobras tem um lucro 100% maior que a próxima grande petrolífera do mundo. Não justifica isso daí. Não tem interferência, eles têm uma legislação completamente própria”, assinalou.

Na quinta-feira, 5, a empresa informou que registrou lucro líquido de R$ 44,561 bilhões no primeiro trimestre. O resultado foi 3.718,4% maior do que apurado no mesmo período do ano passado.

No mesmo dia, Bolsonaro afirmou que os lucros registrados recentemente pela empresa são “um estupro”, beneficiam estrangeiros e quem paga a conta é a população brasileira. A referência, repetida neste sábado, faz alusão aos investidores da estatal.

“Quero revelar para vocês, nos próximos dias, quem são os acionistas da Petrobras: fundos de pensão. Nada contra. Nós estamos bancando aposentadorias para gente de fora do Brasil, e polpudas aposentadorias”, disse à imprensa.

Jonas Campos

Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail

PUBLICIDADE


x