Política

Bolsonaro cobra Petrobras e culpa governadores por preços dos combustíveis


UOL - 09 jul 2021 - 08:03

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) cobrou ontem, 8, a Petrobras por mais detalhes sobre a composição dos preços dos combustíveis, informação já presente e divulgada periodicamente no site da estatal. Ele também atribuiu os recentes aumentos aos estados, que recolhem Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

“O preço do combustível na refinaria estará no portal da Petrobras, como eu conversei com o presidente [da estatal, Joaquim Silva e Luna], e vamos divulgar na nossa página também toda vez que tiver uma alteração no preço do combustível, para menos ou para mais. Vamos divulgar isso aqui e dizer o valor fixo do imposto federal”, anunciou Bolsonaro durante sua live semanal.

Bolsonaro seguiu: “Tudo me culpam, né? Preço dos combustíveis: tivemos agora, há dois dias, um aumento no preço dos combustíveis, e obviamente o mundo cai na minha cabeça. O preço mais barato [do Brasil], acredite, é no Maranhão. Mas aí vem o governador, do Partido Comunista do Brasil [PCdoB], e mete a mão no ICMS”. O governador Flávio Dino, entretanto, agora é do PSB.

A Petrobras já divulga o preço médio dos combustíveis nas refinarias. Em seu site oficial, a estatal ainda reforça que os valores se referem a combustíveis “tipo A”, ou seja, antes da combinação com o etanol, no caso da gasolina, ou do biodiesel, no caso do diesel — e, portanto, são muito mais baixos do que os cobrados nos postos.

Na página da Petrobras também é possível consultar a composição dos preços de venda dos combustíveis aos consumidores, que é atualizada periodicamente. De 27 de junho a 3 de julho, data da última coleta de dados, o valor médio da gasolina aplicado nos postos de 13 capitais estava dividido em:

  • 32,4% - Fatia que fica com a Petrobras
  • 28,6% - ICMS (imposto estadual)
  • 15,7% - Etanol adicionado à gasolina. Hoje, a gasolina vendida nos postos é composta por 73% de gasolina A e 27% de etanol anidro
  • 11,9% - Cide, PIS/Pasep e Cofins (impostos federais)
  • 11,4% - Distribuição e revenda, equivalente ao preço na refinaria

“Monopólio do transporte”

Durante a live, o presidente Jair Bolsonaro também se opôs ao que chamou de “monopólio no transporte de combustível” e disse ser alvo de represálias de setores do empresariado quando propõe a abertura deste mercado.

“Nós temos que botar um ponto final nisso aí, nós temos que abrir a concorrência. O transporte de combustível não é justo”, queixou-se. “Toda vez que eu entro nessa área, o mundo cai na minha cabeça, porque setores fortíssimos da economia vêm para cima de mim”.

Com informações da Agência Estado e da Reuters


Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail