Etanol: Mercado: Regulação

Plataforma CBio, parte do RenovaBio, está no ar

Solução desenvolvida pelo Serpro colabora para expandir uso de biocombustíveis e cumprir Acordo de Paris


Serpro - 08 jan 2020 - 11:19 - Última atualização em: 08 jan 2020 - 13:57

Está no ar, a partir desta quarta-feira, um sistema desenvolvido pelo Serpro que ajuda na preservação do meio ambiente: a plataforma de créditos de descarbonização (CBio), que pode ser acessada aqui. "A solução é indispensável para alcançar metas de diminuição de emissão do carbono para o setor de combustíveis, incentivando o aumento da produção e da participação de biocombustíveis na matriz energética de transportes do país", declara André de Cesero, Diretor de Relacionamento com Clientes do Serpro.

As metas estão estabelecidos no Renovabio, política nacional instituída por lei. A entrega do sistema será feita para a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), órgão federal responsável pela regulação das indústrias de petróleo, gás natural e de biocombustíveis, vinculada ao Ministério de Minas e Energia.

André de Cesero ressalta que a ANP viu, no Serpro, a possibilidade de atender uma necessidade do governo para o cumprimento do Acordo de Paris. "A partir dessa entrega, o Serpro demonstra sua capacidade para o desenvolvimento de outras soluções pertencentes ao ecossistema de negócio de responsabilidade da ANP, reforçando sua missão de transformação digital".

O que são créditos de descarbonização

A comercialização de créditos de descarbonização (também chamados créditos de carbono) baseia-se na necessidade ambiental de diminuir a emissão do gás dióxido de carbono (CO2), emitido em grande quantidade quando se queimam combustíveis fósseis, como o petróleo. Ao utilizar biocombustíveis também há a liberação de carbono, mas em quantidade incomparavelmente menor do que quando se utiliza óleo diesel, por exemplo. Produtores e importadores de biocombustíveis, como etanol e biodiesel, estão contribuindo para evitar o aumento de emissão de CO2 e, por isso, podem quantificar essa contribuição e vender essa "quantidade de redução de CO2" no chamado mercado de carbono.

O crédito de carbono é um certificado eletrônico emitido quando há diminuição de emissão de gases que provocam o efeito estufa, gerador de aquecimento global. Um crédito de carbono equivale a uma tonelada de CO2 (dióxido de carbono) que deixou de ser emitido para a atmosfera. Para outros gases reduzidos são emitidos créditos, utilizando-se uma tabela de equivalência entre cada um dos gases e o CO2.

Confira as duas jornadas: para produtores e escrituradoras

126e3d09 cefa 42db a38d 10dd770a3447

a110e309 5570 4335 a158 bfcefbee49db