Etanol: Mercado: Regulação

Plataforma CBio, que gera lastro dos créditos de descarbonização, está pronta e em fase de testes

O mecanismo é essencial para o processo de emissão dos CBios, que posteriormente serão comercializados


novaCana.com - 09 dez 2019 - 15:33

A plataforma CBio já está pronta, sendo considerada um produto mínimo viável (MPV) e em fase de homologação pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). A informação é do gerente do departamento de novos negócios do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro), Daniel Antonelli. “Vamos homologar para ver se está tudo funcionando direitinho e a entrada em produção está prevista para 24 de dezembro”, afirma.

Além disso, o gerente também informou que os produtores serão convidados para testar a plataforma, podendo tirar dúvidas e até fazer sugestões. “Temos um tempinho, mais uma semana, para fazer eventuais alterações ou correções na plataforma”, relata.

De acordo com o coordenador do departamento de biocombustíveis do Ministério de Minas e Energia (MME), Paulo Costa, os testes serão feitos amanhã, terça-feira (10). Com base neles, será possível identificar as dificuldades do processo prático de emissão de CBios, além do tempo estimado para completar as etapas necessárias.

A plataforma foi desenvolvida pelo Serpro para garantir a geração do lastro do CBio e integrar as informações que serão passadas às usinas, aos bancos – que atuam na escrituração dos títulos – e à ANP, cada um com um nível de acesso diferente. Segundo Antonelli, o processo tem como base a nota fiscal eletrônica que o produtor colocará na plataforma.

Ainda conforme Antonelli, a plataforma deve custar em torno de R$ 4 milhões no primeiro ano e R$ 3 milhões nos demais. “O contrato vai ser assinado em breve e deve ser publicado, em Diário Oficial, nesta semana ou na próxima”, detalha o gerente.

Gabrielle Rumos Koster e Rafaella Coury – novaCana.com