Etanol: Mercado: Regulação

Governo evita metas, mas garante atenção ao etanol


novaCana.com - 20 nov 2012 - 16:44

O diretor do departamento de combustíveis renováveis do ministério de Minas e Energia, Ricardo Dornelles, afirmou que o governo não deve estabelecer metas para a participação do etanol entre os combustíveis do Brasil, pois isso poderia prejudicar outros setores econômicos e levar a uma falha no aproveitamento racional das fontes energéticas. "É uma balança com vários pratos", disse. A entrevista foi dada no começo do mês à TV Udop, durante a Conferência Internacional Datagro.

Mesmo sem estabelecer metas numéricas, Dornelles garantiu que o governo permanece atento ao etanol e que tem meta a longo prazo de aumentar a participação dos combustíveis renováveis no Brasil. O diretor evitou falar em medidas concretas para incentivar o etanol, afirmando que o setor sucroalcooleiro é "heterogêneo" e que o governo deve "costurar" entraves.

Para Dornelles, a elevação imediata do preço da gasolina, permitindo aumento da competitividade do etanol, seria uma "solução mágica" inviável. "Não se sustenta uma decisão dessas. O setor de etanol não é só dos produtores, os interesses têm de convergir", afirmou.

O diretor ainda fez uma comparação  com as metas dos Estados Unidos e da Europa para a presença do etanol. Enquanto eles estão buscando o uso do biocombustível apenas na mistura com o combustível fóssil, no Brasil essa taxa já está estabelecida pelo governo entre 20% e 25%. "O que eles têm nós já temos", informou.
Tags: novaCana.com