BASF
Etanol: Preços

Rabobank prevê alta do hidratado


Valor Econômico - 18 fev 2013 - 08:38 - Última atualização em: 29 nov -1 - 20:53

O banco holandês Rabobank divulgou relatório em que prevê que os preços médios do etanol hidratado no Brasil deverão alcançar a média de R$ 1,27 por litro (na usina, sem impostos) na safra 2013/14, que começa em abril. O valor equivale a 19 centavos de dólar por libra-peso. Neste ciclo 2012/13, até o dia 15 de fevereiro, o indicador Cepea/Esalq para o litro do hidratado registrou uma média de R$ 1,10.

Porém, a instituição financeira, com forte presença no agronegócio, considera que, dada a sazonalidade típica de oferta e demanda durante o pico da safra, há chances de os preços caírem a níveis equivalentes a 17 centavos de dólar por libra-peso nos meses de maio a julho.

Na semana encerrada no dia 15 de fevereiro, o indicador semanal Cepea/Esalq para o hidratado registrou forte alta (2,9%) e chegou a R$ 1,2338 o litro. O indicador diário do hidratado Esalq/BM&FBovespa Paulínia também teve na sexta-feira valorização de 0,94%, a R$ 1,295 mil o metro cúbico.

Por conta dos preços mais remuneradores do etanol em relação ao açúcar, o Rabobank aposta em uma safra de cana mais "alcooleira" no Centro-Sul do Brasil, que responde por 90% da produção de cana do país. O mix deve ser, segundo a instituição, de 54% do caldo da cana para a fabricação de etanol no próximo ciclo, ante 51% da temporada 2012/13.

Independentemente do mix, o banco observa que neste ano a qualidade da cana colhida tende a ser melhor, o que significará volumes crescentes de etanol e de açúcar.

Na sexta-feira, a vantagem para o etanol voltou a crescer. Segundo informações da consultoria Datagro, o preço do etanol hidratado na usina foi cotado por um valor equivalente a 19,91 centavos de dólar por libra-peso, 10% acima do fechamento de sexta-feira do contrato março do açúcar em Nova York, que foi 18 centavos de dólar por libra-peso.

Para o Rabobank a produção de etanol no Brasil alcançará 27,2 bilhões de litros em 2013/14, ante as cerca de 24 bilhões de litros de 2012/13. Do total produzido, 23,1 bilhões de litros ficarão disponíveis para uso como biocombustíveis, segundo o banco. A frota de carros flex deve absorver 18,4 bilhões de litros.

Segundo a SCA Trading, uma das principais comercializadoras de etanol do país, o consumo de etanol no Centro-Sul vai crescer 18% na safra 2013/14, para 21,9 bilhões de litros, reflexo do aumento da mistura do anidro na gasolina, de 20% para 25% a partir de 1º de maio, e do crescimento do consumo de hidratado. Dos 3,3 bilhões de litros adicionais de consumo, 1,8 bilhão serão de etanol anidro e 1,5 bilhão de litros de hidratado.

O Rabobank reafirma a projeção de uma grande safra 2013/14 no Brasil. A estimativa preliminar do banco para o Centro-Sul, que representa 90% da produção brasileira, é de moagem de, no mínimo, 580 milhões de toneladas de cana, ante 532 milhões no ciclo atual.