BASF
Etanol: Preços

Preço nos postos: Valor médio dos combustíveis diminui pela primeira vez desde 2017

A discreta redução não influenciou na relação entre os preços e etanol segue desvantajoso para os consumidores


novaCana.com - 16 fev 2018 - 15:07

paridade 01 mini tabela 04.02a10.02Os destaques sobre o preço do etanol na semana de 4 a 10 de fevereiro:

  1. O preço do etanol nos postos aumentou em 16 estados e no DF e recuou em 10

  2. O litro do biocombustível de cana foi desvalorizado em 0,06% e o da gasolina em 0,21% na comparação com a semana anterior

  3. Nas médias nacionais, o preço do etanol correspondeu a 71,7% do valor de comercialização da gasolina, novamente batendo o recorde de desvalorização do biocombustível desde maio de 2017

  4. Segue sendo vantajoso abastecer com etanol apenas em Mato Grosso e em Goiás

  5. A cotação do biocombustível segue aumentando nas usinas do Mato Grosso, porém diminuiu novamente nas de São Paulo e Goiás



A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) divulgou a evolução dos preços dos combustíveis nas bombas de todo o país entre os dias 04 e 10 de fevereiro. A pesquisa mostrou que, em comparação com a semana anterior, tanto o etanol quanto a gasolina tiveram diminuição nos seus valores médios.

Essa é a primeira vez no ano em que há uma diminuição nas médias dos valores dos combustíveis nos postos. O etanol não registrava uma redução no preço médio de comercialização desde outubro de 2017; no caso da gasolina, a última queda foi em novembro.

paridade 02 percentual estados 04.02a10.02

Na semana anterior, o valor médio do etanol nas bombas era de R$ 3,023, mas passou para R$ 3,021 entre os dias 04 e 10 de fevereiro, uma diminuição de 0,06%. 

Já a gasolina passou de um valor médio de R$ 4,221 para R$ 4,212 nos últimos dias, uma desvalorização de 0,21% na comparação com a semana anterior.

Ainda assim, como houve uma queda maior nos valores da gasolina do que nos do etanol, segue aumentando a relação entre os preços dos dois combustíveis.

O preço do biocombustível passou a corresponder a 71,7% do valor de comercialização do combustível fóssil nas médias nacionais – um valor superior à paridade energética comercialmente estabelecida em 70%.

Esse aumento de 0,14% em relação à semana anterior – quando o indicador foi de 71,6% – demonstra que a competitividade do etanol continua em queda, aproximando-se do recorde da primeira semana de maio de 2017 (71,8%).

Estados

Entre os dias 04 e 10 de fevereiro, o preço do biocombustível nos postos aumentou em 16 estados e no Distrito Federal e recuou em 10, enquanto a gasolina foi valorizada em nove estados e no Distrito Federal, recuou em outros 16 e se manteve no Rio Grande do Sul.

Apesar de ter ocorrido um número maior de recuos nos valores de ambos os combustíveis, não houve mudanças sobre a vantagem do consumo do etanol perante a gasolina, de acordo com seus preços e rendimentos. Assim como nas últimas semanas, o biocombustível permanece desvantajoso em quase todos os estados brasileiros.

As exceções seguem sendo Mato Grosso e Goiás, os únicos estados onde os valores médios do etanol hidratado ainda compensam em relação aos da gasolina nos postos. Essa é a quinta semana consecutiva em que o etanol é competitivo apenas nos dois estados.

Gráficos avançados e filtros interativos sobre o comportamento dos preços estão disponíveis aqui (exclusivo assinantes).

O evolutivo dos preços de todos os estados desde 2001 pode ser acessado aqui.

paridade 03 comparativo estados 04.02a10.02

São Paulo

Em São Paulo, o principal estado produtor e consumidor de etanol do país, o indicador que mede a relação entre os valores dos combustíveis nas bombas aumentou 0,13%, chegando a 72%. O valor é o maior desde março de 2017.

Isso se deve ao fato de que, por mais que o valor médio do etanol tenha diminuído 0,24% – de R$ 2,891/l para R$ 2,884/l –, os valores da gasolina diminuíram ainda mais, 0,37%, passando de R$ 4,019/l para R$ 4,004/l.

Mato Grosso

Em Mato Grosso, estado onde o etanol hidratado segue sendo o mais competitivo, o biocombustível foi vendido por 60,5% do preço da gasolina em média, o que indica uma melhora na sua competitividade, já que a relação era de 60,6% na semana anterior.

Isso aconteceu graças à diminuição de 0,08% nos valores médios do biocombustível, que passou de R$ 2,568/l para R$ 2,566/l, e ao aumento nos preços do derivado de petróleo nas bombas, que saiu de R$ 4,238/l e foi para R$ 4,243/l, totalizando 0,11% a mais.

Goiás

Já nos postos goianos, a competitividade do etanol se manteve como na segunda passada, com seu preço correspondendo a 67% do preço da gasolina. Assim, permanece a relação vantajosa para os consumidores.

A manutenção do indicador de competitividade se deve ao fato de que o valor médio do biocombustível diminuiu apenas 0,14%, saindo de R$ 2,958/l no período anterior para R$ 2,954/l neste, enquanto a gasolina também diminuiu, passando de R$ 4,418/l para R$ 4,407/l, uma redução de apenas 0,25% nos valores nas bombas.

paridade 04 tabela completa 04.02a10.02

Os preços do etanol e da gasolina por região, estado ou cidade desde 2001 estão disponíveis na planilha interativa (exclusivo para assinantes).

Usinas

Nas usinas, o preço do biocombustível manteve as mudanças das últimas análises. O Indicador Cepea/Esalq do etanol hidratado no estado de São Paulo mostra que sua cotação diminuiu 0,33% em relação à semana anterior, sendo essa a terceira semana de desvalorização consecutiva, acumulando uma alta de 24,7% nas últimas 21 análises.

Já em Mato Grosso, a alta na cotação do etanol hidratado se mantem e já dura 15 semanas. Na última semana, a elevação do preço foi de 0,6%, número menor do que o da análise anterior. No período acumulado, a valorização é de 18,9%.

Em Goiás, por sua vez, a cotação do etanol nas usinas novamente apresentou uma diminuição nos preços, dessa vez de 0,3%, número menor que o da análise anterior. O acumulado nas últimas 23 semanas é de 27,1%.

Rafaella Coury - novaCana.com