Etanol: Preços

Preço nos postos: Etanol tem elevação semanal superior a 1%

Aumento no valor da gasolina foi um pouco menor, prejudicando a competitividade do biocombustível nas bombas


novaCana.com - 29 jun 2020 - 11:00

Os destaques sobre o preço do etanol na semana de 21 a 27 de junho:

paridade 01 mini tabela 21.06a27.06

  1. Preço médio da gasolina subiu 0,9% e o do etanol, 1,04%

  2. Na média nacional, o combustível renovável correspondeu a 67,4% do valor de comercialização do fóssil

  3. O consumo de etanol segue economicamente vantajoso para os motoristas de São Paulo, Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso

  4. O preço do etanol nos postos subiu em 14 estados e no Distrito Federal, e caiu nos outros 12

  5. O preço do renovável novamente teve alta nas usinas de Mato Grosso, mas caiu em São Paulo e Goiás


A leve recuperação na demanda dos combustíveis nos postos do país – consequência direta do afrouxamento das recomendações de isolamento pela pandemia de coronavírus – tem influenciado nos preços para os consumidores, que apresentaram elevação no último mês.

De acordo com o levantamento feito pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), na semana de 21 a 27 de junho, tanto o etanol quanto a gasolina apresentaram aumentos.

Entre os fatores que levaram a isto está a elevação de 5% no preço da gasolina nas refinarias, anunciada pela Petrobras em 18 de junho. O movimento acompanha a tendência de recuperação parcial nos preços internacionais do petróleo.

Nos postos, este é o quinto aumento consecutivo para o etanol e o sexto para a gasolina – ainda que tenha sido uma ampliação mais branda em relação à semana de 14 a 20 de junho.

Entretanto, na semana, houve uma maior elevação para o etanol, o que diminuiu sua competitividade nos postos. Enquanto o combustível fóssil passou de R$ 3,986 por litro para R$ 4,022/l, um aumento de 0,9%, o biocombustível cresceu um pouco mais, 1,04%, saindo de R$ 2,681/l para R$ 2,709/l.

Desta forma, a relação entre o preço dos combustíveis subiu 0,15% e chegou a 67,4%. O valor ainda está abaixo da linha comercialmente estabelecida em 70%, mas está se aproximando lentamente dela desde o final de maio, quando começou a subir.

Além disso, comparativamente, os índices registrados em junho de 2019 e de 2018 estavam em patamares menores por conta da alta oferta de etanol. Isso reduzia o preço do biocombustível nas bombas e, consequentemente, aumentava sua competitividade na comparação com a gasolina.

paridade 02 percentual estados 21.06a27.06

Variação nos estados

De acordo com os dados da ANP, na semana de 21 a 27 de junho, o preço médio do etanol registrou aumentos em 14 estados e no Distrito Federal, e caiu em outros 12. Enquanto isso, a gasolina apresentou quedas em 6 estados.

Conforme os preços registrados, o consumo do biocombustível segue economicamente vantajoso apenas para os motoristas de Goiás, São Paulo, Minas Gerais e Mato Grosso.

paridade 03 comparativo estados 21.06a27.06

Em São Paulo, estado que mais produz e consome etanol no país, o preço do biocombustível aumentou 1,2%, chegando a R$ 2,523/l. A gasolina, por sua vez, subiu um pouco menos, 1,08%, fazendo com que a relação entre os valores aumentasse para 65,6%, ainda favorável para o etanol.

Já Mato Grosso registrou um aumento de 0,67% para o biocombustível, cuja média ficou em R$ 2,412/l. Como a gasolina subiu menos, 0,51%, a relação entre os preços subiu para 61,6%. Ainda assim, o estado segue a registrar o etanol mais competitivo do país.

Por sua vez, Minas Gerais registrou um aumento de 0,4% para o etanol, chegando a R$ 2,763/l. Como a gasolina subiu somente 0,19%, a relação entre os preços teve uma leve elevação, para 66,8%, ainda favorável para o biocombustível.

Goiás também apresentou aumento para renovável, de 2,97%, chegando ao custo médio de R$ 2,776/l. Já gasolina subiu ainda mais, 3,6%, fazendo a relação entre eles cair pela segunda semana consecutiva e chegar a 68,4%.

No Paraná, o biocombustível subiu 2,9% e a gasolina, 2,35%. Desta forma, a relação entre os preços também subiu, chegando a 72,9% e mantendo o biocombustível acima do limite considerado favorável.

O estado apresenta o segundo indicador mais alto dentre os seis grandes produtores. O primeiro, Mato Grosso do Sul registrou uma relação de 75,7% na análise mais recente, acima do limite da competitividade para o renovável, mas um dos menores valores desde 2018.

paridade 04 tabela completa 21.06a27.06

Os preços do etanol e da gasolina por região, estado ou cidade desde 2001 estão disponíveis na planilha interativa (exclusivo para assinantes). Também estão disponíveis gráficos avançados e filtros interativos sobre o comportamento dos preços.

Usinas

O aumento do preço do etanol nos postos tem relação direta com o valor de venda nas usinas dos principais estados produtores.

Em Mato Grosso, de acordo com o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), da Esalq-USP, o hidratado sofreu novo aumento, ainda que menor do que na semana anterior, de 0,74%.

Enquanto isso, Goiás e São Paulo registraram retrações nos preços, de 1,21% e 2,66%, respectivamente.

Gabrielle Rumor Koster e Rafaella Coury – novaCana.com