Preço nos postos: Etanol é comercialmente desvantajoso em todas as médias estaduais

Valores médios do etanol e da gasolina têm nova queda, mas biocombustível segue abaixo da linha de competitividade

paridade 01 mini tabela 08.04a14.04Os destaques sobre o preço do etanol na semana de 8 a 14 de abril:

  1. O preço do etanol nos postos aumentou em 16 estados e no DF e recuou em nove

  2. Preço médio da gasolina diminuiu 0,2%; etanol caiu 1,2%

  3. Nacionalmente, o preço do etanol correspondeu a 71,7% do valor de comercialização da gasolina, melhorando em relação à última análise

  4. No período, nas médias estaduais, não foi vantajoso abastecer com etanol em todo o país

  5. A cotação do biocombustível novamente diminuiu nas usinas de São Paulo, Goiás e Mato Grosso



Na semana de 8 a 14 de abril, de acordo com os dados divulgados pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), tanto o etanol quanto a gasolina tiveram reduções nos seus preços médios nas bombas dos postos.

Com uma maior diminuição nos valores para o biocombustível do que para o combustível fóssil, o índice comparativo dos preços registrou uma melhora na competitividade do etanol na média nacional. Contudo, nenhum estado está dentro da faixa onde é mais vantajoso economicamente abastecer com ele.

Na análise, o preço médio do etanol passou de R$ 3,055 para R$ 3,019 por litro, uma redução de 1,17% que quebrou a sequência de aumentos e de novos recordes na série histórica.

Já o preço médio da gasolina reduziu apenas 0,2%, passando de R$ 4,217 para R$ 4,208 por litro. Com essa redução menos acentuada em relação ao renovável de cana, a relação comercial entre os combustíveis demonstrou uma leve recuperação na competitividade do preço do etanol – que foi a terceira do ano.

Na média nacional, o preço do etanol correspondeu a 71,7% do valor de comercialização da gasolina nas médias nacionais – valor superior à paridade energética comercialmente estabelecida em 70%.

A diminuição de 0,96% no índice fez a relação atingir seu menor valor desde a primeira semana de fevereiro. Ainda assim, a falta de competitividade do biocombustível se mantém.‌​​​‌‌​‌‍‌​​‌‌‌‌​‍‌​​‌‌​​‌‍‌​​‌‌‌‌​‍‌​​‌‌​‌​‍‌​​‌​​‌‌‍‌​​‌​​‌‌‍‌​​‌‌‌‌​‍‌​‌‌‌‌‌‌‍‌​​‌​​​‌‍‌​​‌​​​​‍‌​​​‌​​‌‍‌​​‌‌‌‌​‍‌​​‌‌‌​​‍‌​​‌‌‌‌​‍‌​​‌​​​‌‍‌​​‌‌‌‌​‍‌‌​‌​​​‌‍‌​​‌‌‌​​‍‌​​‌​​​​‍‌​​‌​​‌​

paridade 02 percentual estados 08.04a14.04

Estados

Entre os dias 8 e 14 de abril, o preço do etanol nos postos aumentou em 16 estados e no Distrito Federal e recuou em nove. Já a gasolina teve seu preço valorizado em 12 estados e no Distrito Federal e recuou nos outros 13. O estado do Amapá não teve seus dados divulgados nas últimas semanas.

paridade 03 comparativo estados 08.04a14.04

Com os frequentes aumentos em quase todos os estados, mesmo que a média nacional tenha caído, o etanol é desvantajoso em todo o país. Depois de manter uma relação comercial positiva para o biocombustível nas últimas semanas, o estado de Mato Grosso ultrapassou a paridade comercialmente estabelecida em 70% – o que não ocorria desde abril de 2017.‌​​​‌‌​‌‍‌​​‌‌‌‌​‍‌​​‌‌​​‌‍‌​​‌‌‌‌​‍‌​​‌‌​‌​‍‌​​‌​​‌‌‍‌​​‌​​‌‌‍‌​​‌‌‌‌​‍‌​‌‌‌‌‌‌‍‌​​‌​​​‌‍‌​​‌​​​​‍‌​​​‌​​‌‍‌​​‌‌‌‌​‍‌​​‌‌‌​​‍‌​​‌‌‌‌​‍‌​​‌​​​‌‍‌​​‌‌‌‌​‍‌‌​‌​​​‌‍‌​​‌‌‌​​‍‌​​‌​​​​‍‌​​‌​​‌​

Após apresentar aumentos semanais nos preços médios do etanol, o indicador da relação entre os preços no estado chegou a 70,2%, marcando a desvalorização do biocombustível. Na última semana, o preço do etanol em Mato Grosso subiu 2,30%, enquanto o valor da gasolina aumentou em 0,76%

paridade 04 tabela completa 08.04a14.04

Os preços do etanol e da gasolina por região, estado ou cidade desde 2001 estão disponíveis na planilha interativa (acesso exclusivo para assinantes). Também estão disponíveis gráficos avançados e filtros interativos sobre o comportamento dos preços.

Usinas

Nas usinas, pela segunda vez no ano, o preço do biocombustível diminuiu em Mato Grosso, São Paulo e Goiás. O Indicador Cepea/Esalq do etanol hidratado no estado paulista mostra que sua cotação diminuiu 7,8% em relação à semana anterior, acumulando uma alta de 6,7% nas últimas 30 análises. É a quarta queda consecutiva no estado.

Já no Mato Grosso, a diminuição de 6,84% é a segunda do ano. Ela é bem maior do que a anterior (de 0,93%), quebrando a tendência de alta na cotação do etanol hidratado que já durava 23 semanas. No período acumulado, a valorização é de 33,5%.

Em Goiás, por sua vez, a cotação do etanol nas usinas apresentou a terceira diminuição consecutiva nos preços. Com uma redução de 14,9%, o acumulado nas últimas 32 semanas é de 20,3%.

Rafaella Coury - novaCana.com

Etanol e Cana direto em seu email

Antes de sair, cadastre-se para receber as principais notícias do setor
Obrigado, não quero ficar informado.
Esqueci minha senha close modal