PUBLICIDADE
ARMAC
Etanol: Preços

Etanol hidratado perde competitividade nos postos pela 3ª semana consecutiva

Já nas usinas, depois de mais de um mês de alta nas cotações, valor do biocombustível registra queda


NovaCana - 20 jun 2016 - 11:54

2016_23_img1

Os destaques sobre o preço do etanol na semana de 12 a 18 de junho:

- Etanol hidratado nacional registrou nova alta e correspondeu a 67,8% do valor da gasolina

- Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais e São Paulo mantêm relação vantajosa de consumo para o renovável de cana

- No Paraná, os preços de etanol se aproximam de uma relação de paridade com os valores de comercialização do combustível fóssil

- Após altas consecutivas, usinas registram queda na cotação do etanol

- Mudança no preço de referência dos combustíveis para o cálculo do ICMS


2016_23_img2

Há sete semanas o etanol brasileiro sustenta o posto de ser mais vantajoso para o consumo do que a gasolina nas médias nacionais. Na semana de 12 a 18 de junho, o índice que estabelece a relação dos preços entre os dois combustíveis marcou 67,8%.

A margem de vantagem para o consumo, por outro lado, vem se reduzindo lentamente semana a semana. É a terceira semana consecutiva de alta no indicador que mede a relação entre a gasolina e o etanol, após atingir 66,2% em maio – o menor índice do ano.

Os resultados são impulsionados pela alta dos preços cobrados pelo renovável de cana em 14 estados na última semana. No intervalo, outros 12 estados registraram queda nos preços e no Acre não apresentaram variação. A referência para o Amapá não foi divulgada.

Estados

O etanol continuou competitivo em Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais e São Paulo na última semana. Além disso, o Paraná se aproxima da faixa de paridade, apresentando uma relação entre os preços do etanol e a gasolina de 70,4%.

Em detalhe

Gráficos avançados e filtros interativos sobre o comportamento dos preços estão disponíveis aqui (exclusivo assinantes).

O evolutivo dos preços de todos os estados desde 2001 pode ser acessado aqui.

2016_23_img3

São Paulo

O estado reduziu a competitividade do biocombustível na última semana. A relação entre os preços da gasolina e do etanol passou de 65% para 65,9%.

O índice foi resultado de uma alta de 0,93% nos preços do etanol, comercializada a R$2,283. Além disso, os postos do estado marcaram um preço de venda da gasolina cerca de 0,40% mais baixo, vendido em média a R$ 3,464.

2016 23 img4

Os preços do etanol e da gasolina por região, estado ou cidade desde 2001 estão disponíveis na planilha interativa (exclusivo para assinantes).

Usinas

O alta nos preços do etanol ao consumidor na maioria dos estados é reflexo do aumento nas cotações das usinas por várias semanas consecutivas.

Em São Paulo, após a alta de 9,54% em maio, nas primeiras semanas junho os preços chegaram a registrar um acréscimo de quase 3,94%. Já na última semana, a cotação nas usinas paulistas voltou a cair (-3,99%).

Os preços para o renovável de cana em Goiás apresentam comportamento semelhante. Em maio, a cotação para o renovável de cana registrou aumento de 10,46% nas usinas. Nas primeiras semanas de junho, a alta chegou a 5,5%. Mas, assim como São Paulo, no último período de referência o estado registrou queda, de 3,36%.

A queda nas cotações do etanol hidratado das usinas dos dois estados ocorreu na semana em que a estiagem ajudou as usinas a retomarem o processamento de cana-de-açúcar e a produção do combustível.

Segundo divulgado pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea/Esalq/USP), as usinas ficaram quase uma semana paralisadas, por causa das chuvas nas principais regiões produtoras do Centro-Sul.

Mudança no ICMS

Outro fator relacionado aos preços dos combustíveis da última semana, e que gera expectativa em relação aos comportamento das cotações nas próximas semanas, é a mudança na referência dos combustíveis para o cálculo do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

Em vigor desde quinta-feira (16), a alteração pode provocar leves reduções nos preços dos dois combustíveis: etanol e gasolina.

De acordo com a tabela de preços divulgada pelo Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), o preço médio do etanol caiu de R$ 3,047 para R$ 3,014 – um variação mais expressiva do que a gasolina que passou de R$ 3,829 para R$ 3,817.

O ICMS representa entre 25% e 30% do valor do combustível, de acordo com o estado, e é calculado segundo o valor médio apurado pelo Confaz. A queda do valor médio reduz o custo do imposto.

Em São Paulo, por exemplo, o valor atribuído pelo Confaz para o litro do etanol que custava R$ 2,286 caiu para R$ 2,187. Uma redução de quase R$ 0,10.

Marina Gallucci – novaCana.com


PUBLICIDADE FMC_VERIMARK_INTERNO FMC_VERIMARK_INTERNO

Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail

PUBLICIDADE
STOLLER
x