Etanol: Preços

Desoneração não deve tornar o etanol mais barato na bomba


Exame - 23 abr 2013 - 16:03

As medidas anunciadas pelo governo nesta terça-feira para estimular a produção de etanol nacional não prometem reduzir sensivelmente o preço do combustível na bomba a ponto de torná-lo mais atrativo para o consumidor.

Segundo estimativas da consultoria Datagro, especializada no setor sucroalcooleiro, o corte de R$0,12 por litro de álcool (o governo "zerou" o PIS/Cofins) reserva efeitos bem diferenciados ao longo da cadeia, beneficiando principalmente revendedores e distribuidores.

"De 40% a 50% será capturado pelos distribuidores e revendedores", diz Plínio Nastari, presidente da Datagro. O especialista destaca que a margem de distribuição e revenda do etanol é muito baixa comparada à gasolina. "Cerca de 10 a 12 centavos por litro, contra os 40 centavos da gasolina", explica.

Além disso, de 30% a 40% do que for desonerado deverá ser capturado pelos produtores, ao passo que apenas de 10% a 30% poderá ser capturado pelo consumidor. Traduzindo: se o preço do etanol cair, ele será quase imperceptível para o consumidor.

Se somarmos a isso o efeito do aumento da mistura do etanol anidro na gasolina de 20% para 25%, que começa a vigorar dia 1º de maio, a competitividade do etanol na bomba continua sem perspectiva de melhorar. Conforme afirmou o ministro Guido Manteiga durante o anúncio das medidas, o aumento da mistura vai inevitavelmente puxar pra baixo o preço da gasolina.