Etanol: Preços

[Cepea] Chuva em SP ajuda a sustentar preço do etanol neste início de setembro


Cepea/Esalq - 10 set 2015 - 10:27

As chuvas do início desta semana reforçam o suporte aos preços do etanol no mercado paulista, à medida que limita ou mesmo interrompe temporariamente a colhida da cana-de-açúcar. Conforme pesquisadores do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), da Esalq/USP, representantes do setor comercial de algumas usinas estavam atentos às previsões de clima instável e, já na semana passada, limitaram a oferta de etanol; alguns chegaram mesmo a sair das negociações spot, priorizando a entrega de contratos.

Como resultado, a disponibilidade do combustível diminuiu na semana passada e os preços se firmaram no estado de São Paulo, mesmo com a demanda relativamente enfraquecida. Distribuidoras já haviam se abastecido para o feriado ou estavam trabalhando com o recebimento do produto negociado via contrato.

Os Indicadores Cepea/Esalq mostram que o hidratado vendido por usinas paulistas teve média de R$ 1,1893/litro (sem impostos) na semana passada, alta de 1% em relação à semana anterior, e o anidro, de R$ 1,3378/litro (sem impostos), ligeiro aumento de 0,1%. O Indicador Diário do Etanol Hidratado ESALQ/BM&FBovespa Posto Paulínia (SP) fechou nessa quarta-feira, 9, a R$ 1.169,50/m3, alta de 4,6% na parcial do mês.

Segundo agentes de mercado consultados pelo Cepea, o volume expressivo de etanol vindo de outros estados, como Mato Grosso do Sul e Goiás, para distribuidoras com base em SP limitou as altas. Os preços praticados naqueles estados estavam competitivos em relação às principais regiões paulistas, mesmo considerando-se as despesas com transporte.

Nos postos varejistas, o etanol hidratado mantém vantagem sobre a gasolina em seis estados brasileiros, assumindo-se 70% como nível de indiferença. De acordo com dados da ANP (Agência Nacional do Petróleo Gás Natural e Biocombustíveis), em São Paulo, por exemplo, a cotação média no intervalo de 30 de agosto a 5 de setembro foi de R$ 1,887/l, correspondendo a 61,1% do valor da gasolina (R$ 3,089/l). O hidratado também segue vantajoso nos estados de Mato Grosso, onde o preço equivaleu a 57,6% do valor da gasolina, Minas Gerais (63,2%), Paraná (64,9%), Goiás (68%) e Mato Grosso do Sul (68,4%).