BASF
Etanol: Importação

Importações de etanol perdem ritmo, mas continuam elevadas em outubro

Expectativa para o ano que vem, de acordo com a Platts, é que as compras de biocombustível estrangeiro permaneçam aquecidas


novaCana.com - 16 nov 2017 - 09:00

Historicamente, as importações brasileiras de etanol costumam acontecer com mais força nos primeiros meses do ano, acompanhando a entressafra da região Centro-Sul e o andamento do primeiro trimestre de um novo ciclo. No entanto, as importações de etanol têm se sustentado em patamares elevados há mais de um ano. Em 2016, os picos das importações começaram no segundo semestre e, ao longo desse ano, os níveis elevados vem se repetindo sucessivamente, quebrando recordes mês após mês.

Mesmo que a quantidade ainda seja alta, o ritmo de crescimento em outubro dá sequência aos primeiros sinais de enfraquecimento. No mês, o Brasil comprou cerca 90,011 milhões de litros de etanol. O volume, apesar ser superior ao visto em outros anos, não representa um crescimento estrambólico em relação à 2017, quando a quantidade de etanol importado já havia crescido significativamente. Ainda assim, o montante é apenas 26% maior do que os 71,067 milhões de litros registrados no passado – para efeito de comparação, em 2015 fora 9,537 milhões de litros.

etanol 02 mensal nov11BL

Além disso, ao contrário do que aconteceu em outros meses ao longo de 2017, o volume não superou o recorde da série histórica, registrado em 2011, quando foram adquiridos 132,399 milhões de litros de etanol estrangeiro. O recorde mensal remete ao ano em que o Brasil vivenciou uma crise no abastecimento do biocombustível e comprou 1,15 bilhão de litros de etanol importado.

etanol 01 acumulado nov11BL

No acumulado do ano, a importação continua recorde. Com um total de 1,682 bilhão de litros, o volume de 2017 é 104% maior que o total importado no ano passado (821,58 milhões de litros) e 207% superior aos 547 milhões de litros vistos de janeiro a outubro de 2016.

etanol 03 acumulado nov11BL

etanol 04 acumulado nov11BL

Etanol americano

Do total importado, a maioria absoluta veio dos Estados Unidos. Apenas em outubro foram 89,995 milhões de litros, chegando a um acumulado anual de 1,681 bilhão de litros.

Vale registrar que, em agosto desse ano, foi anunciada a taxação para o etanol importado que ultrapassar o volume trimestral de 150 milhões de litrosque ultrapassar o volume trimestral de 150 milhões de litros. Mas a medida não fechou a janela para os exportadores de etanol norte-americanos interessados no mercado brasileiro.

De acordo com a Platts, os Estados Unidos deverão exportar um grande volume de etanol para o Brasil em 2018 mesmo com a taxa de importação de 20% implementada pelo governo brasileiro para compras além da cota. A estimativa é que o país norte-americano embarque cerca de 1,7 bilhão de litros de etanol para o Brasil em 2018, ante 1,8 bilhão de litros projetados para este ano.

Ainda segundo a Platts Kingsman, as usinas do Centro-sul do Brasil não serão capazes de suprir a demanda das regiões Norte e Nordeste, já que não haverá um aumento considerável na capacidade de produção. Além disso, o consumo na parte central do país tem aumentado graças a uma vantagem competitiva do biocombustível ante a gasolina.

A consultoria também destacou que uma parte do volume estimado deve vir livre da taxação adicional, uma vez que, como citado, o governo brasileiro estabeleceu que somente importações acima de 150 milhões de litros por trimestre (ou 600 milhões de litros ano) terão incidência de tarifa.

novaCana DATA


EXCLUSIVO ASSINANTES

O texto completo desta página está
disponível apenas aos assinantes do site!

VEJA COMO É FÁCIL E RÁPIDO ASSINAR


Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail