Etanol: Mercado: Gasolina

Defasagem no preço da gasolina chega a até R$ 0,29 por litro, calculam importadores


EPBR - 26 jan 2021 - 10:19

A Associação Brasileira dos Importadores de Combustíveis (Abicom), autora de uma reclamação no Cade contra a Petrobras, voltou a se manifestar nesta segunda, 25, sobre a disparidade entre os preços praticados pela estatal e os valores internacionais de petróleo.

De acordo com a Abicom, a Petrobras compromete a própria abertura do mercado de refino: “Essa artificialidade é um desestímulo para os investidores que pretendem desenvolver negócios em nosso país”.

Segundo cálculos da associação, a defasagem nos preços do diesel varia entre R$ 0,34/L e R$ 0,28/L, a depender do porto de destino. O combustível não é reajustado desde 29 de dezembro.

No caso da gasolina, a defasagem varia de R$ 0,29/L a R$ 0,21/L, também a depender do porto. A Petrobras elevou o preço do combustível no dia 19 de janeiro.

Nos dois casos, a associação afirma que as operações de importação estão inviabilizadas.

“A Abicom tem consciência da importância das medidas estruturais que têm sido conduzidas para desconcentração do abastecimento primário de combustíveis no país. Mas não se pode ignorar o atual represamento dos preços dos combustíveis e o desalinhamento do mercado doméstico em relação à valorização internacional”, diz a nota.

Gustavo Gaudarde