Etanol: Mercado: Futuro

A saida da Petrobras do alcoolduto aumenta o preço do combustível?


Bloomberg Newsweek - 30 nov 2012 - 14:19 - Última atualização em: 18 jan 2013 - 18:30

A decisão da Petrobras de suspender o investimento em um duto de etanol de $ 3,1 bilhões, o maior do mundo, está suscitando especulações de que o projeto será reduzido e deixará de gerar preços do combustível mais baixos na bomba.

A Petrobras não vai fazer pagamentos no próximo ano para os 1.300 km de alcoolduto (808 milhas), de acordo com a Copersucar SA, uma das seis empresas que co-patrocinam o projeto. Um funcionário da Petrobras, no Rio de Janeiro se recusou a comentar sobre o duto.

O investimento na capacidade brasileira de etanol despencou e a produção estagnou desde que a proposta do gasoduto foi concebida em 2007. A atitude da Petrobras sugere que o gasoduto pode ser encurtado ou atrasado, de acordo com analistas, incluindo Arnaldo Correa da Archer Consulting e Salim Morsy da Bloomberg New Energy Finance .

"O governo, de certa forma, abandonou o setor de etanol depois das descobertas de petróleo na chamada região pré-sal", disse Adriano Pires, diretor do Centro Brasileiro de Infraestrutura, uma empresa de consultoria, no Rio de Janeiro. "As usinas de açúcar estão olhando para o governo e ninguém no governo diz o que vai acontecer."

A Petrobras está priorizando o investimento em exploração e produção de petróleo bruto, uma vez que este ano, pela primeira vez desde 2004, a sua produção deve cair. Os ganhos caíram nos últimos sete trimestres e sua unidade de refino perdeu US $ 8,4 bilhões nos nove primeiros meses de 2012, principalmente por ter de importar gasolina cara e vendê-la abaixo do custo para atender a crescente demanda no Brasil.

Política de etanol
O Brasil planeja revisar suas políticas de etanol para estimular o investimento na indústria, disse em 18 de outubro em rede de rádio pública o ministro do Comércio Fernando Pimentel. O Ministério de Minas e Energia não quis comentar sobre a decisão da Petrobras em uma resposta por e-mail a perguntas da Bloomberg.

A mistura de etanol de cana na gasolina brasileira é de 20 por cento. A Petrobras está buscando aumentar para 25 por cento.

O Presidente da Copersucar, Luis Roberto Pogetti, disse em uma teleconferência no dia 05 de novembro que a decisão da Petrobras não vai afetar o desenvolvimento do projeto. A Copersucar mantém o compromisso com o plano, de acordo com um comunicado enviado por email ontem. Um funcionário no Rio de Janeiro, na Logum Logística SA, a empresa que desenvolve o gasoduto, se recusou a comentar.

O Diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, falou sobre o pipeline em uma cúpula de etanol em julho passado, em São Paulo, dizendo que custaria R $ 6,5 bilhões ($ 3,1 bilhões), de acordo com o site da empresa.

A primeira seção do gasoduto deve entrar em operação em março e possui 208 km de alongamento em todo estado de São Paulo.

Transporte mais barato
Cerca de 90% do etanol produzido no Brasil é movido por caminhões de longa distância, muitas vezes a partir de usinas do interior para as cidades costeiras, onde é consumida ou carregada em navios para exportação. Outros 6% vão de comboio, enquanto 3% usam gasodutos existentes e 1% é enviado por rios.

Dutos são a forma mais barata de transporte no Brasil, depois do transporte aquaviário. O projeto do gasoduto pode reduzir os custos de transporte em 7 centavos, disse Morsy, analista da Bloomberg New Energy Finance, em São Paulo, em entrevista por telefone.

A gasolina brasileira foi vendida a uma média de 2,75 reais por litro na bomba para a semana encerrada em 17 de novembro, segundo o site da ANP. O Etanol foi vendido por R$ 1,88. 

Petrobras, Raízen Energia SA, Copersucar e Odebrecht Transport Participações SA detêm, cada um, 20% da Logum. Uniduto Logística SA e Camargo Correa SA cada detêm 10%.

Marcelo Martins, diretor financeiro na Raízen, controlada pela Cosan SA Indústria e Comércio, disse em uma entrevista ontem que os parceiros do pipeline estão comprometidos com o projeto e vão fazer os investimentos necessários.

Extensão
Um etanolduto pode cortar o custo de transporte de etanol em 50 por cento a partir de Goiás, onde o projeto está previsto para terminar, disse André Rocha, presidente do Estado de associação da indústria de etanol, ou SIFAEG. Cerca de 60% de etanol da região é enviado para fora do Estado.

Um duto menor "não seria apenas ruim para o estado de Goiás e moinhos aqui, mas para todo o setor", disse Rocha.

O BNDES aprovou um empréstimo de 1,7 bilhões de reais em setembro de 2011 para financiar a primeira fase do projeto, que compreende quatro terminais e uma rede de 476 quilômetros de tubulações que ligam os estados de São Paulo e Minas Gerais, incluindo a seção que vai ser concluída em março. Um funcionário do BNDES no Rio de Janeiro se recusou a dizer se o dinheiro foi desembolsado para a Logum.

Stephan Nielsen
Fonte: Bloomberg Business Week - Petrobras Ethanol Pipeline Pullback Raising Fuel Price


PUBLICIDADE BASF_NOV_INTERNAS BASF_NOV_INTERNAS

Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail

PUBLICIDADE
STOLLER
x