Etanol: Exportação

Como as usinas brasileiras serão afetadas pelas mudanças em discussão na Califórnia


novaCana.com - 19 ago 2015 - 10:59 - Última atualização em: 19 ago 2015 - 14:06

O estado norte-americano da Califórnia está revisando as normas para a entrada de combustíveis, o que deve trazer mudanças para os usineiros brasileiros que almejam acessar este mercado, um dos mais valorizados para o etanol de cana-de-açúcar.

O Conselho da Qualidade do Ar da Califórnia (Carb, na sigla em inglês), órgão regulador encarregado de revisar as normas do Padrão de Combustíveis de Baixo Carbono (LCFS), divulgou a proposta para as novas regras. Algumas dessas alterações não foram bem digeridas pela Unica.

Atualmente, 38 usinas brasileiras, de 18 grupos, estão autorizadas a enviar etanol à Califórnia. No estado norte-americano, o biocombustível de cana do Brasil é considerado uma das vias de conformidade mais rentáveis para as usinas, proporcionando um prêmio sobre as importações devido à baixa pegada de carbono.

As mudanças propostas são significativas e devem mudar sensivelmente — para melhor em alguns pontos e para pior em outros — o número da pegada de carbono de cada usina, assim como todo o processo para comprovação das emissões.

Conheça as principais alterações que afetam a exportação brasileira de etanol e as críticas das usinas as medidas do Carb.


EXCLUSIVO ASSINANTES

O texto completo desta página está
disponível apenas aos assinantes do site!

VEJA COMO É FÁCIL E RÁPIDO ASSINAR