Etanol: Exportação

[Ethanol Summit] Brasil deve exportar 1,2 bilhão de litros de etanol na safra 2015/16, avalia trading


Globo Rural - 07 jul 2015 - 16:05

A exportação de etanol pelo Brasil na safra 2015/2016 deve se limitar ao cumprimento de contratos de longo prazo fechados anteriormente. Foi a avaliação feita pelo CEO da trading SCA Brazil Ethanol, Martinho Ono, durante o Ethanol Summit, realizado pela União da Indústria de Cana-de-açúcar (Unica), em São Paulo (SP).

Para Martinho Ono, até o fim da atual safra, as exportações devem ser de 1,2 bilhão de litros, podendo chegar a 1,4 bilhão de litros. "Os números que a gente tem de contratos já firmados apontam para esse nível", acrescentou.

De acordo com dados da própria Unica, nos meses de abril e maio, os dois primeiros da safra 2015/2016, as vendas externas de etanol cresceram em volume e faturamento na comparação com o mesmo período na safra 2013/2014. Os embarques totalizaram 276,708 mil litros (+14,31%), com um faturamento de US$ 194,677 milhões (+17,41%). O número fechado de junho ainda não foi divulgados pela entidade que representa as usinas de açúcar e etanol.

Na opinião de Martinho Ono, uma mudança no atual cenário das exportações de etanol só poderia ocorrer em casos que considera radical. Uma possibilidade seria uma depreciação mais forte do etanol no mercado interno, o que ele considera difícil de ocorrer, já que os preços atuais estão em níveis considerados baixos, com uma relação de 62% em relação ao preço da gasolina.

"E considerando a atual situação da safra, a tendência é de fortalecimento no preço, o que coloca mais dificuldade de exportar, já que ele remuneraria mais que o mercado externo", avaliou, estimando que a cotação do combustível pode chegar à paridade de 67% em relação à gasolina.

Outra possibilidade seria uma valorização do dólar que favorecesse a parida de exportação. A cotação da moeda americana está em torno dos R$ 3,10. "Acha difícil ir para um patamar muito além disso", declarou o CEO da SCA.

Raphael Salomão