Etanol: Mercado

Etanol de milho competitivo pode baratear combustível no Brasil

O sócio-diretor da Job Economia e Planejamento, Júlio Maria Borges, analisa a tendência para a cana-de-açúcar e o para o etanol


Canal Rural - 04 dez 2019 - 07:06

As chuvas de dezembro a março vão ser decisivas para a próxima safra de cana-de-açúcar do Brasil. Nessa temporada, por exemplo, o clima ajudou a produção e até diminuiu os custos de moagem: as chuvas colaboraram e a produção de cana-de-açúcar pode bater recorde.

Porém, isso não significa uma redução nos preços para os consumidores, já que há uma demanda forte e a substituição de gasolina por etanol está sendo mais intensa do que o esperado.

Um aspecto que pode impactar os preços no futuro é o etanol de milho, conforme explica o sócio-diretor da Job Economia e Planejamento, Júlio Maria Borges. “Com maior disponibilidade do produto, a concorrência aumenta e a tendência é que os preços fiquem mais comedidos”, afirma.

Ele acredita que o etanol de milho no Centro-Oeste, particularmente no Mato Grosso, e na região Norte é muito competitivo e deve tirar espaço de mercado do etanol de cana. O tamanho do impacto nos preços, ainda assim, é de difícil mensuração para o especialista.

“Sob a ótica de abastecimento, o etanol de milho é bem-vindo porque, a rigor, nós somos importadores de etanol. Então, deve beneficiar em benefício do consumidor, barateando os combustíveis”, diz.