PUBLICIDADE
ARMAC
Etanol: Mercado

Disparada em créditos de carbono do RenovaBio pode virar investigação no Cade

Escalada no valor dos títulos joga pressão sobre preços de gasolina e diesel


Folha de S. Paulo - 14 jul 2022 - 07:33

O Ministério de Minas e Energia pediu ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) que abra uma investigação para apurar indícios de infração no mercado de créditos de carbono negociados na B3.

O valor dos títulos, chamados de CBios, disparou nos últimos meses. A alta joga pressão sobre os preços da gasolina e do diesel em um momento em que o governo tenta poupar o consumidor às vésperas da eleição.

O CBio foi o modelo criado pelo programa RenovaBio para incentivar a produção e o consumo de combustíveis menos poluentes do que os derivados do petróleo. Ele é emitido por produtores e importadores de biocombustíveis, enquanto as distribuidoras de combustíveis fósseis têm metas anuais de descarbonização e, portanto, são obrigadas a adquirir os CBios para atingir tais metas.

A preocupação agora, a ser analisada no Cade, é se a distribuidora de combustíveis compraria certificados acima de sua meta em acordo com produtores de etanol e de biodiesel. Assim, tais distribuidoras elevariam o preço dos certificados para forçar suas concorrentes a pagar mais por eles.

No início do ano, distribuidoras de combustíveis de médio porte pediram intervenção do governo no mercado de CBios, mas não foram atendidas. Elas já reclamavam da escalada das cotações, já que a compra obrigatória dos títulos impacta os custos do segmento.

Joana Cunha
Com reportagem de Paulo Ricardo Martins e Gilmara Santos


PUBLICIDADE FMC_VERIMARK_INTERNO FMC_VERIMARK_INTERNO

Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail

PUBLICIDADE
STOLLER
x