PUBLICIDADE
renovacao renovacao
Etanol: Abastecimento

Terminal de etanol da Copersucar entra em fase final de obras


Copersucar - 20 mar 2014 - 11:45 - Última atualização em: 29 nov -1 - 20:53
Armazenamento Terminal Copersucar 200314
Terminal da empresa em Paulínia terá capacidade inicial para estocar 180 milhões de litros

O terminal de etanol da Copersucar, em Paulínia (SP), entrou em fase final de obras, com previsão de conclusão no segundo semestre de 2014. O terminal funcionará como importante hub da Copersucar no interior de São Paulo para a centralização, o gerenciamento e o transporte do etanol produzido pelas usinas da região, um dos principais polos sucroenergéticos do país.

Com investimentos de R$ 150 milhões e capacidade de armazenagem de 180 milhões de litros na sua primeira fase e previsão de atingir 360 milhões de litros na segunda fase de implantação, o terminal permitirá operar os sistemas rodoviário e dutoviário, de maneira intermodal. Isso será possível porque a estrutura será integrada aos dutos da Logum, empresa da qual a Copersucar é uma das sócias, com participação de 20%, e ao sistema da Replan, da Petrobras.

A próxima etapa do projeto, ainda na primeira fase, prevê a instalação de um duto de interligação, de 1,9 km, entre o terminal da Copersucar e o etanolduto da Logum, que aguarda aprovação da Câmara Municipal de Paulínia para o início de sua implantação.

Erguido em uma área de 356 mil metros quadrados de terreno próprio da Copersucar, o terminal de etanol é um dos projetos que compõem o plano de investimentos da Companhia, que está aplicando R$ 2 bilhões em logística no período entre 2011 e 2015. Os recursos visam mais eficiência e expansão da capacidade de armazenagem e transporte de etanol e açúcar.

Benefícios para Paulínia

Devido à intermodalidade do terminal e sua integração com a Logum, a obra permitirá uma significativa diminuição de viagens de caminhão por safra, uma vez que o etanol será transportado diretamente pelos dutos, com menor tempo de escoamento do biocombustível, maior economia de combustível e mais segurança nas estradas, representando expressivos benefícios para o meio ambiente e as comunidades. O investimento atende a critérios técnicos de excelência nos âmbitos operacional e tecnológico. A obra já obteve todas as licenças ambientais e atende integralmente aos padrões exigidos pela Cetesb (Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental). A implantação do duto de interligação ao Sistema Logum, porém, ainda está pendente de aprovação pelo Legislativo do município.

Ao longo dos 14 meses a obra beneficiou a região de Paulínia, como a geração de empregos. O empreendimento empregou cerca de 1.000 pessoas nas diversas fases do projeto.

O terminal contribuirá também para o aumento da arrecadação municipal com a prestação de serviços de armazenagem (ISS) e com o aumento da cota de participação do município na arrecadação de ICMS.

Estrutura do Terminal de Etanol da Copersucar

Na primeira fase de operações, o terminal contará com dez tanques de etanol, com capacidades de armazenamento de 5, 20 e 40 milhões de litros de etanol, além de 100 vagas para o estacionamento de caminhões. O volume total de movimentação previsto para o terminal em sua primeira fase é de 2,3 bilhões de litros de etanol por safra. Em termos de comparação, o volume equivale a quase 50% de todo etanol comercializado pela Copersucar na safra 2013/2014, de 4,9 bilhões de litros. As obras do terminal tiveram início em dezembro de 2012 e, atualmente, estão sendo instalados os primeiros sistemas de automação. A montagem e pintura dos tanques e os trabalhos na área de estacionamento de caminhões já foram finalizados. Em seguida, a Copersucar poderá solicitar as primeiras licenças de operação, que deve ser iniciada no segundo semestre de 2014.

PUBLICIDADE BASF_NOV_INTERNAS BASF_NOV_INTERNAS

Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail

PUBLICIDADE
STOLLER
x