Etanol: Abastecimento

Estoques de etanol se aproximam da posição vista um ano antes [21 gráficos]

Com demanda por combustíveis afetada pela pandemia de covid-19, safra foi marcada por elevados volumes estocados


NovaCana - 15 dez 2020 - 15:06

A safra de cana 2020/21 no Centro-Sul está sendo especialmente caracterizada pela elevada participação do açúcar no mix de produção das usinas. Ainda assim, os estoques de etanol se mantiveram altos durante toda a temporada – eles iniciaram o ciclo em uma posição elevada, graças à produção recorde de 2019/20, e se mantiveram acima do esperado devido à drástica redução na demanda, causada pela pandemia de covid-19.

Entretanto, à medida que a temporada se aproxima da entressafra, os estoques de etanol também começam a baixar e se aproximam da posição vista um ano antes. Segundo dados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), em 1º de dezembro, as usinas do Centro-Sul registraram 10,67 bilhões de litros em seus tanques, o que caracteriza um aumento anual de 3,34%. Mas, em comparação com a quinzena anterior, a queda foi de 7,1%.

De acordo com a União da Indústria de Cana-de-açúcar (Unica), 214 usinas já encerraram a moagem da safra 2020/21. Na segunda quinzena de novembro, aliás, o volume de etanol fabricado registrou queda anual de 22,5%, ficando em 587 milhões de litros. Especificamente, a quantidade de anidro aumentou 18,63%, enquanto a de hidratado caiu 49,16%. Além disso, 176,27 milhões de litros de hidratado foram convertidos em anidro.

“A fraca demanda por hidratado estimulou a desidratação do produto e a conversão em etanol anidro, que deve ter demanda garantida na entressafra. A produção interna é suficiente para garantir a mistura obrigatória durante toda a entressafra sem a necessidade de importação de produto”, afirma o diretor técnico da Unica, Antonio de Padua Rodrigues.

Esta predileção estratégica das usinas pelo etanol que é misturado à gasolina teve efeito nos estoques. O volume de hidratado armazenado teve uma queda semanal de 9,3%, ficando em 6,9 bilhões de litros em 1º de dezembro – ainda assim, a posição está 2,9% acima na comparação anual. Já os estoques de anidro caíram apenas 2,7% entre as duas últimas quinzenas, ficando 4,2% acima da posição vista um ano antes.

São Paulo

Embora os estoques de etanol no Centro-Sul sigam elevados na comparação anual, o mesmo não pode ser dito da armazenagem em São Paulo, maior estado produtor e consumidor do biocombustível no país.

Em 1º de dezembro, as usinas paulistas estocavam 5,96 bilhões de litros, 1,9% a menos que no mesmo período de 2019. Em relação à posição no final da quinzena anterior, a queda foi de 7,3%.

Grande parte desta redução se deu nos tanques de hidratado, que guardavam 3,66 bilhões de litros, volume 0,6% abaixo do visto um ano antes e 9,9% na comparação com 16 de novembro. Ao mesmo tempo, os estoques de anidro paulistas tiveram redução de 3,8% na comparação anual, ficando em 2,3 bilhões de litros. Na quinzena, porém, a queda foi mais sutil, de 2,8%.

etanol 01 total block

etanol 04 total estados block

etanol 03 anidro block

etanol 06 anidro estados block

etanol 02 hidratado block

etanol 05 hidratado estados block

novaCana DATA (exclusivo assinantes)

Renata Bossle – novaCana.com


EXCLUSIVO ASSINANTES

O texto completo desta página está
disponível apenas aos assinantes do site!

VEJA COMO É FÁCIL E RÁPIDO ASSINAR



Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail



x