RenovaBio: Atvos opina sobre rigorosa proteção ambiental no processo de certificação

Desconsideração do Zoneamento Agroecológico e possibilidade de supressão de vegetação nativa estão entre os pedidos da empresa na consulta pública realizada pela ANP

A nova política de biocombustíveis (RenovaBio) quer contribuir para a descarbonização da atmosfera ao incentivar a produção de combustíveis renováveis. Para isso, ela deve se tornar interessante para os produtores pela possibilidade de gerar rendimentos financeiros com o mercado dos CBios.

Para garantir a participação das usinas – e o atendimento dos seus interesses –, várias entidades contribuíram com comentários e sugestões na consulta pública nº 10/2018, lançada pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) para regulamentar o programa.

Os comentários da Atvos (antiga Odebrecht Agroindustrial) questionam algumas exigências de certificações ambientais, bem como as obrigações dos produtores e importadores de biocombustíveis, além de pedir por mais agilidade e isonomia no processo.

Conheça os detalhes das solicitações da Atvos na versão completa:

- Posicionamento em relação ao uso de ZAE Cana e CAR
- Mudanças na relação entre usina e fornecedor
- Verificação de informações
- Responsabilidades de produtores e importadores
- Prazos da ANP
- Revisão da calculadora do RenovaBio

O texto acima é apenas uma breve introdução. Para ver esta página completa clique aqui e assine.

exclusivo assinantes

O texto completo desta página
está disponível apenas aos assinantes do site

veja como é fácil e rápido assinar

Etanol e Cana direto em seu email

Antes de sair, cadastre-se para receber as principais notícias do setor
Obrigado, não quero ficar informado.
Esqueci minha senha close modal