Etanol: Meio ambiente

Etanol é uma alternativa sustentável para os países do Brics, diz Unica


Agência Safras - 23 out 2020 - 07:23

Os desafios e oportunidades para o desenvolvimento sustentável. Esse foi o tema de um dos painéis do Brics Business Forum, realizado na última terça-feira (20). Especialistas de diversas áreas estiveram reunidos no Fórum que, em virtude da pandemia, foi realizado via videoconferência.

O diretor executivo da Unica, Eduardo Leão de Sousa, um dos representantes brasileiros no painel, apresentou os aprendizados da experiência brasileira com o uso do etanol de cana-de-açúcar.

Eduardo Leão contextualizou o cenário de produção do etanol de cana-de-açúcar no país desde 1973, quando surgiu o programa Proálcool, e seu desenvolvimento como a principal fonte de energia renovável do país.

“Seja como combustível ou como fonte de bioeletricidade, a cana-de-açúcar é a fonte de quase 20% da energia consumida no Brasil. Em 2019, por exemplo, o etanol substituiu 48% da gasolina que seria usada na frota de veículos leves”, explica.

Ele ainda argumenta que alguns dos principais desafios enfrentados pelos países participantes podem ser mitigados com o uso do etanol: poluição do ar, emissão de CO2 e diminuição da dependência de importação de petróleo. “Tudo isso gera impactos positivos na economia local”, afirma Eduardo Leão.

De acordo com ele, o setor de transporte é responsável pela emissão de aproximadamente 25% das emissões de gases de efeito estufa (GEEs), principais causadores do aquecimento global e a estimativa é de que nos próximos 20 anos a frota de carros dobre no mundo todo. Descarbonizar a matriz de transportes, desta forma, é uma questão que ele considera como imediata.

Segundo Leão, quando comparado aos combustíveis fósseis, o etanol é capaz de reduzir em até 90% o total de emissões. Ele explicou que, desde 2003, o etanol evitou no Brasil a emissão de 535 milhões de toneladas de GEEs e afirmou, de novo, que esta pode ser uma importante alternativa para os demais países dos Brics.