Logística

Logum garante que terminal de etanol em Araçatuba começa a operar em 2015


O Liberal Regional - 24 jan 2014 - 12:22 - Última atualização em: 29 nov -1 - 20:53
placa logum 240114
O terminal aquaviário de armazenagem e transporte de etanol pela hidrovia Tietê-Paraná da Logum Logística em Araçatuba deve começar a operar no quarto trimestre de 2015. A data de operação foi repassada pela própria empresa que garantiu o início das obras ainda neste ano.

A reportagem do O LIBERAL foi até o terreno onde será construído o terminal na manhã de ontem (23) e, por enquanto, ao lado do Estaleiro Rio Tietê (ERT) apenas uma placa demarca onde a empresa será instalada em meio ao matagal.

A unidade em Araçatuba, que de acordo com a empresa terá capacidade de movimentar 2,5 bilhões de litros por ano, fará parte de um Sistema Logístico de Etanol (logística, carga, descarga, movimentação e estocagem, operação de portos e terminais terrestres e aquaviários) que envolverá transportes multimodais: dutos, hidrovias (barcaças), rodovias (caminhões-tanques) e cabotagem (navios).

Em abril de 2011 o diretor de engenharia da Logum, Moacir Megiolaro, esteve na prefeitura de Araçatuba e anunciou a construção do terminal no município. A promessa na época era de que a construção do terminal e das barcaças deveria ser simultânea e sincronizada. Na mesma reunião, o gerente do ERT Delmo Pescuna, afirmou que quando ocorresse a entrega das barcaças, já deveria ter etanol estocado para transportar. A promessa era de que os dois empreendimentos deveriam ser simultâneos. Não foi o que ocorreu.

Um ano depois, em abril de 2012 o projeto do terminal da Logum foi aprovado e as obras deveriam começar rapidamente. Ainda segundo anúncio da época, o investimento seria de aproximadamente R$ 150 milhões na estrutura. A base teria oito tanques, com capacidade de armazenamento de 40 mil metros cúbicos de etanol. A promessa era de que até 2020, a capacidade de operação da base poderia chegar a 8,6 milhões de metros cúbicos de etanol, partindo de Araçatuba com destino ao município de Anhembi (SP). A construção, pelo projeto inicial, ainda contemplaria uma estrutura para recepcionar os caminhões, um heliponto, além de um píer avançado. O investimento total na plataforma, que incluía dutos e hidrovia poderia ultrapassar os R$ 7 bilhões.

Até o momento o ERT que já está atrasado com a entrega das barcaças não finalizou o primeiro comboio - composto por quatro barcaças e um empurrador - e não há sinais de construção no terreno que receberá o terminal.

Sistema de etanol
O Sistema Logístico Multimodal de Etanol da Lpgum, segundo a proposta que consta no institucional de seu site oficial, prevê a criação, no Sudeste e Centro-Oeste brasileiros, de corredores de transporte dutoviário e hidroviário de etanol, que funcionarão em conjunto com o sistema de distribuição já existente nestas regiões.

O etanol será captado em terminais e transportado por dutos que interligam de Jataí (GO) a Paulínia (SP), pela Hidrovia Tietê-Paraná a Paulínia (SP). Paulínia será um hub (armazenamento principal), a partir deste ponto o etanol será distribuído para Terminais e portos do Rio de Janeiro e de São Paulo.

Pela proposta da empresa, o etanol sai das usinas onde é produzido e levado em caminhões-tanque até os Terminais Terrestres e Aquaviários. Nesses locais, o etanol é armazenado em tanques, para depois ser transportado por dutos e hidrovias.

O etanol produzido nas regiões Centro-Oeste e Sudeste, será captado em nove terminais nas seguintes localizações:
6 Terminais Terrestres ao longo do duto, nas cidades de Jataí (GO), Quirinópolis (GO), Itumbiara (GO), Uberaba (MG), Ribeirão Preto (SP) e Paulínia (SP).

3 Terminais Aquaviários, localizados ao longo da Hidrovia Tietê-Paraná, nas cidades de Anhembi (SP), Araçatuba (SP), e Presidente Epitácio (SP).

Thiago Esteffanato
Tags: Outros

PUBLICIDADE BASF_NOV_INTERNAS BASF_NOV_INTERNAS

Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail

PUBLICIDADE
STOLLER
x