Logística

[Vídeo] Duto que transportará etanol de Ribeirão para Paulínia é concluído


G1 - 18 jan 2013 - 12:30 - Última atualização em: 29 nov -1 - 20:53

O primeiro trecho do duto que transportará etanol ligando grandes centros produtores do produto entre cinco estados do país ficou pronto entre Ribeirão Preto (SP) e Paulínia (SP). Esta primeira fase da obra tem 206 quilômetros de extensão e começará a funcionar em março.

O Etanolduto, como foi batizado, ligará 45 municípios passando pelos estados de Goiás - onde começa em Jataí -, Mato Grosso do Sul, São Paulo e Minas Gerais, até chegar aos portos de São Sebastião (SP) e do Rio de Janeiro onde o combustível será exportado em navios. Quando estiver pronto o duto terá 1.300 quilômetros e capacidade para transportar 21 bilhões de litros de etanol por ano. O custo previsto é de R$ 7 bilhões.

Para o economista Marcos Fava, o duto vai melhorar a competitividade do produto brasileiro no exterior. "Ninguém fica transportando as coisas de caminhão, você ter esse duto representa a retirada de um custo muito grande que é esse caminhão sair muitas vezes do interior do Brasil e ir até os portos brasileiros. Os americanos já disseram que são dependentes do etanol brasileiro, então nós tendemos a exportar muito mais para eles do que já foi este ano. Este ano foram 3 bilhões de litros exportados, o que deu mais de US$ 2 bilhões a mais na balança comercial brasileira", afirmou.

O proprietário de usina Jairo Balbo afirma que o Etanolduto também trará benefícios ecológicos. Só na região de Ribeirão Preto, a previsão é que o duto diminua pelo menos 10 mil viagens de caminhão nas estradas durante a safra de cana.

"Esse novo sistema pode trazer uma maior produtividade em termos de transporte do nosso produto que é o álcool, que já tem uma alta sustentabilidade, que vem de encontro a tirar caminhões da estrada, melhorando o trânsito, além disso, diminuindo poluição, gerou emprego e gerará emprego e também a parte de meio ambiente, que estaria protegida por isso", afirmou.

Balbo ainda ressalta que outro ponto positivo na retirada de caminhões das rodovias é a possível diminuição do preço do etanol pago pelo consumidor. "Em médio prazo isso deva acontecer porque diminuindo o custo de um frete, através do duto, você poderá repassar esse preço para o consumidor", conclui.

Segundo dados da única, na safra 2011/2012, o Brasil produziu aproximadamente 560 milhões de toneladas de cana, matéria-prima utilizada para a produção de 23 bilhões de litros de etanol. O país é responsável pela produção de 20% desta matriz energética no mundo, números que o colocam como o segundo maior produtor do planeta, atrás apenas dos Estados Unidos.

O próximo trecho do Etanolduto ligará Ribeirão Preto a Uberaba (MG) no Triângulo Mineiro.

Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail