BASF
Logística

BP e Copersucar anunciam joint venture para operar terminal de Paulínia


Assessoria BP / Copersucar - 30 nov 2017 - 10:23

A BP Biocombustíveis, aposta brasileira no segmento sucroenergético da British Petroleum (BP), e a Copersucar anunciaram hoje a intenção de formar uma joint venture para operar importante terminal de armazenagem de etanol, localizado em Paulínia (SP).

Conforme acordo assinado ontem, cada empresa terá 50% de participação na joint venture, que operará de forma independente o terminal que atualmente pertence à Copersucar. Além dos acionistas, o terminal logístico continuará prestando serviços aos demais clientes.

De acordo com comunicado sobre a assinatura do acordo, a conclusão da operação e a formalização da joint venture dependerão da satisfação de condições precedentes típicas para esse tipo de negócio, incluindo a análise e aprovação da autoridade de concorrência no Brasil (CADE). Os detalhes comerciais da transação não serão divulgados de acordo com as empresas envolvidas.

O presidente da Copersucar, Paulo Roberto de Souza, afirmou em nota que a nova joint venture otimizará a logística do etanol, com ganhos de competitividade e flexibilidade no atendimento ao mercado. “Além da identidade de valores, a parceria com a BP reforça o compromisso das duas empresas com o desenvolvimento dos biocombustíveis no País”, comenta.

O presidente da BP Biocombustíveis e Head of Country da BP no Brasil, Mario Lindenhayn, por sua vez, destaca que a parceria vai “ampliar de forma relevante a presença comercial da BP no Brasil”.

Com produção sucroalcooleira no Brasil há menos de dez anos, essa é a primeira incursão da britânica BP Biocombustíveis na logística de etanol no país. A participação da companhia no ramo de renováveis inclui três usinas de cana-de-açúcar no Brasil – a usina Tropical, em Edeia (GO), e as unidades de Itumbiara (GO) e Ituiutaba (MG).

Segundo informações publicadas pelo Valor Econômico, antes mesmo de manifestar seu interesse na exploração do terminal, a BP Biocombustíveis já mantinha relação comercial com o Copersucar, desde 2011, com contratos de comercialização, armazenagem e logística de produtos.

Terminal Copersucar de Etanol

Localizado no principal polo de combustíveis do Brasil, o Terminal Copersucar de Etanol (TCE) opera desde 2014 de forma multimodal. Além de receber etanol de todas as usinas sócias da Copersucar, o terminal também atende a logística de terceiros. Desde 2016, TCE está conectado à refinaria da Petrobras em Paulínia (Replan).

Por estar próximo à maior refinaria de petróleo do país, o que concentra as distribuidoras de combustíveis em Paulínia, o TCE hoje é fundamental para conectar as usinas sucroalcooleiras do Centro-Sul, a principal região produtora, à rede de distribuição. Além do terminal da Copersucar, há outros três terminais que operam com etanol no município, mas com volumes menores que os movimentados pela cooperativa.

Atualmente, o terminal possui dez tanques, com capacidade total de armazenagem de 180 milhões de litros de combustível e de movimentação de 2,3 bilhões de litros por ano, com possibilidade de ampliação.
Desde a sua construção, a Copersucar previa a possibilidade de dobrar a capacidade de armazenamento e movimentação do TCE. No entanto, planos sobre possíveis ampliações não serão comentados pelas companhias até a oficialização da join venture.

Por outro lado, em breve, segundo a BP, o terminal será integrado à Ferrovia Centro-Atântica, operada pela VLI, que já é utilizado para escoar açúcar produzido no interior de São Paulo. O TCE já garante acesso de etanol ao duto da Logum - companhia que tem a Copersucar em seu bloco de controle e que hoje opera até Uberaba e Ribeirão Preto -, e às rodovias Bandeirantes, Anhanguera, Dom Pedro e a Estrada Velha de Campinas (SP 332).

novaCana.com
com informações do Valor Econômico