PUBLICIDADE
boletim boletim
Logística

Álcoolduto entre Ribeirão Preto e Uberaba terá novo cronograma


Jornal de Uberaba - 28 mai 2013 - 08:19 - Última atualização em: 29 nov -1 - 20:53

A construção do trecho do álcoolduto entre Ribeirão Preto e Uberaba deve começar ainda neste semestre. Previsão era de iniciar em abril, porém, houve um problema de ordem ambiental, que aguarda solução. Só então, as obras serão realizadas. O prefeito de Uberaba, Paulo Piau, aguarda reunião, na qual será dada solução para o problema e apresentado novo cronograma das obras. "Estamos aguardando a data do encontro. O que está acontecendo é um problema ambiental, mas isso não afetará o projeto. O alcooduto é uma realidade, mas ainda tem coisas que temos de tomar pé, como a do consórcio e a história do cimento através do gesso", afirma o prefeito.

Piau está se referindo à Logum Logística S/A, consórcio de empresa responsável pela construção do empreendimento de 1,3 mil quilômetros, que ligará Goiás, Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro. Fazem parte do consórcio a Copersucar, Cosan, Odebrecht, Camargo Corrêa, Uniduto Logística e a Transpetro, subsidiária da Petrobras.

A licença ambiental para a realização do alcooduto foi assinada pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) em julho de 2010 com validade para cinco anos. Na licença estão incluídas a linha tronco do poliduto, áreas de válvulas de bloqueio e retenção automática, lançadores e recebedores de pigs – equipamentos para inspeção da integridade do duto – provadores de corrosão, além do Centro Coletor em Uberaba, do Centro Coletor em Ribeirão, do Sistema de Bombeamento e da Tancagem e Estação de Bombeamento Intermediária de Taubaté, em São Paulo.

Porém, em função de dificuldades encontradas para efetivar a instalação nas áreas anteriormente licenciadas, a Logum propôs nova localização para o Terminal Terrestre de Uberaba, e foi solicitada a retificação da licença de instalação do empreendimento ao Ibama, o que já foi feito, porém existem outras pendências.

Capacidade – O alcoolduto receberá investimentos de R$ 7 bilhões e atravessará 45 municípios, ligando as principais regiões produtoras nos Estados de São Paulo, Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso do Sul ao principal ponto de armazenamento e distribuição, em Paulínia. O duto terá aproximadamente 1.300 quilômetros de extensão.

A primeira fase do projeto, que consiste na construção do Terminal Terrestre de Ribeirão Preto e do poliduto, de 212 quilômetros de extensão e diâmetro de 24 polegadas, interligando o TTRP às instalações da Replan, em Paulínia (SP), foi inaugurado em março e a pré-operação começou em abril.

O Sistema Logístico Multimodal para o álcool terá capacidade de armazenar cerca de 800 milhões de litros do combustível, além de transportar mais de 20 bilhões de litros por ano. Em Uberaba será implantado um dos Terminais Terrestres do projeto, com investimento de R$ 150 milhões, 145 quilômetros de extensão e diâmetro de 20 polegadas. A previsão é que as obras durem cerca de 18 meses e que 700 empregos sejam criados durante as intervenções e 50 quando estiver em operação.

Maria das Graças Salvador


Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail

PUBLICIDADE
STOLLER
x