Cogeração de energia

Recuo na atividade econômica faz despencar preço da energia elétrica do bagaço da cana


Money Times - 25 mar 2020 - 08:31

No mês passado, o Preço de Liquidação das Diferenças (PLD) da energia elétrica gerada pelo bagaço de cana estava acima de R$ 200,00 o megawatt. Na última semana de março, porém, este valor despencou para em torno de R$ 105,00.

A queda é um efeito da menor demanda entre os grandes consumidores de energia elétrica e outros setores da economia, um quadro que pode se agravar com a quarentena obrigatória no estado de São Paulo, que começou ontem (24).

Caso as condições de consumo reduzido perdurem, na visão da Associação da Indústria de Cogeração de Energia (Cogen), as usinas tiverem de bagaço sobrando devem represar entre 5% e 10% da matéria-prima. A cogeração de energia, assim, seria retomada posteriormente. Para o diretor de tecnologia e regulação da entidade, Leonardo Caio Filho, isso pode acontecer apenas em outubro.

Com o início da safra 2020/21 de cana-de-açúcar, as usinas do Centro-Sul voltarão a ter produção de bagaço. A princípio, as usinas são responsáveis por aproximadamente 7% da produção elétrica nacional, comercializando esta energia no mercado livre e por meio de leilões.

“A capacidade instalada é de 11,5 mil megawatts”, informa Caio Filho. Ele complementa que há mais de 300 unidades operacionais, mas mais da metade não exporta energia, pois gera energia apenas para uso próprio.

Em uma simulação com usinas de porte médio (aproximadamente 2 milhões de toneladas de moagem por safra), podem ser gerados até 100 mil gigawatts por hora.

Apesar das perspectivas negativas para 2020, Caio Filho afirma que segue otimista em relação aos projetos previstos para os próximos três a quatro anos, sejam investimentos em renovação de maquinário ou novas instalações de cogeração.

Giovanni Lorenzon