BASF
Cogeração de energia

4 usinas de cana-de-açúcar vendem energia no Leilão A-5: 6.355 GWh e R$ 146,3 milhões


novaCana.com - 02 mai 2016 - 12:23

O primeiro na modalidade de 2016, o Leilão A-5, foi realizado na última sexta-feira (29) pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). No total, foram contratados 278,5 megawatts em potência ou 158,1 megawatts médios em garantia física, o menor nível desde 2009. Além disso, o volume de energia negociado corresponde a um giro financeiro de R$ 9,77 bi.

Ao final, o Leilão negociou a contratação de 49.206 GWh em 29 empreendimentos. São oito usinas térmicas – duas movida a gás natural, duas a resíduo de madeira e quatro a biomassa de cana-de-açúcar. Além disso, foram contratadas também 20 pequenas centrais hidrelétricas (PCH) e uma usina hidrelétrica (UHE).

O preço médio de venda de energia do produto por quantidade (PCHs e UHEs) foi de R$ 175,80 por megawatt-hora. Para o produto de térmicas a gás natural, o preço médio foi de R$ 258/MWh. Já o preço do produto disponibilidade térmica biomassa – cavaco de madeira e cana-de-açúcar – ficou em R$ 235,95, com deságio médio de 5,99% em relação ao preço inicial de R$251/MWh.

Empreendimentos de biomassa de cana-de-açúcar

As quatro unidades termelétricas movidas a biomassa de cana-de-açúcar que venderam eletricidade no Leilão A-5 se comprometeram com 6.355 GWh, um volume que corresponderá a R$ 146,3 milhões em investimentos.

Entre elas, apenas a UTE Vale do Paraná, do Grupo Vale do Paraná, conseguiu um preço acima da média das termelétricas a biomassa. Ela também foi a empresa que se comprometeu com o maior volume de energia. A companhia fará investimentos de R$ 97,45 milhões, em uma capacidade instalada de 48,5 MW. No leilão, foram contratados de 3.002 GWh, resultando em um preço médio de R$ 245,20.

Na sequência, com um preço médio de R$ 217,18/MWh, está a UTE WD, do Grupo WD Agroindustrial. A empresa mineira fará investimentos de R$ 26,38 milhões em uma capacidade instalada de 16 MW. Nesse caso, foram contratados 1.687 GWh.

Além disso, a UTE Porto das Águas, do Grupo Cerradinho Bioenergia, comercializou 1.161 GWh, por R$ 203,25/MWh. A empresa, que possui uma potência instalada de 40 MW, não fará novos investimentos.

Por fim, a UTE JO Bio, do Grupo J O Bioenergia, fará investimentos de R$ 22,4 milhões em uma capacidade instalada de 18 MW. A companhia comercializou 504 mil MWh por R$ 181,25/MWh.

leilao-biomassa-020516

novaCana.com