Trabalhadores

Zilor reduz taxa de acidentes de trabalho com afastamento em 72%


novaCana.com - 29 jul 2020 - 09:48

Na última segunda-feira (27), dia nacional da prevenção de acidentes de trabalho, a Zilor Energia e Alimentos divulgou que reduziu sua taxa de acidente de trabalho com afastamento em 72% na safra 2019/20. A companhia também atingiu seu principal objetivo para o período: nenhuma fatalidade.

Em junho, a unidade de Quatá, localizada no município paulista de mesmo nome, ainda completou um ano sem acidentes.

Segundo a companhia, no período, a Zilor realizou uma série de ações com o objetivo de garantir um ambiente de trabalho mais seguro. A melhoria dos indicadores se deu, ainda conforme a empresa, “com o direcionamento da alta liderança para alavancar as ações de segurança e a parceria com a consultoria DuPont”.

A atuação da consultoria envolveu o apoio a ações de mitigação de acidentes, análises críticas, construção de um plano de ação para melhoria da governança e treinamento estratégico das lideranças e de seus times.

“Podemos observar uma nova cultura de segurança da empresa, criada com o trabalho maciço de diferentes ações de prevenção e campanhas para conscientização das pessoas e sua mudança de comportamento. Essa evolução não seria capaz sem o engajamento de todas as equipes e o suporte de cada líder”, afirma o diretor agroindustrial da Zilor, Luiz Scartezini.

De acordo com o método utilizado, a redução no número de acidentes com colaboradores representa ainda uma diminuição de 62% nos custos com ocorrências do tipo.

Ao longo da safra, foi implementado o programa Vida em Foco. Nele, líderes e equipes passaram a elaborar ações de contenção rápida e efetiva de acidentes, tendo como objetivo zerar o número de ocorrências.

Como parte do programa, a Zilor realizou workshops e treinamentos para equipes com o objetivo de desenvolver competências de supervisão e liderança, comunicação efetiva, gestão de conflitos, tomada de decisão, efetividade das reuniões, treinamento de habilidades e trabalho em equipe.

Para apresentar a iniciativa, foi criada a campanha Zero Acidente. Além disso, entre o final da safra e início da seguinte, os colaboradores tiveram acesso às informações de segurança com a campanha Segurança na Entressafra.

“Nosso maior desafio foi a mudança comportamental. Foi preciso mostrar que a segurança é um benefício para cada colaborador. Desenvolvemos programas, ações e contamos com o auxílio da consultoria para aprimorar a área de segurança”, destaca o diretor-presidente da Zilor, Fabiano Zillo.

Zillo ainda afirma que a rotina da campanha Zero Acidente é essencial para as atividades da empresa: “A curva decrescente dos indicadores de acidentes mostra que o trabalho desenvolvido no último ciclo está no caminho certo e deve continuar com ainda mais empenho de todos os nossos colaboradores sem distinção de atividade, cargo ou experiências”.

Seis ferramentas

No início do projeto, a DuPont visitou as instalações da Zilor para mapear e orientar a operação das unidades de produção e escritórios, a rotina de trabalho das pessoas e analisar como as ações de segurança eram realizadas até então. Nesta etapa, os consultores observaram as possibilidades de melhoria nos procedimentos de comportamento seguro a fim de evitar situações que pudessem causar acidentes.

A partir do mapeamento realizado, foram definidas seis ferramentas com as quais o programa deveria atuar: diálogos com os colaboradores; criação de grupos de trabalho em cada unidade da Zilor, tanto no Brasil como nos Estados Unidos; Programa de Observação e Prevenção (POP); Inspeção de Ato Seguro (IAS); investigação de acidentes; e inspeção técnica de segurança.

O Programa de Observação e Prevenção (POP), especificamente, é um treinamento de colaboradores para que eles possam identificar comportamentos inseguros em suas rotinas de trabalho. Com isso, cada área teve acesso às próprias estatísticas de desempenho, que poderiam ser discutidas para a implementação de melhorias.

“Estes indicadores eram apresentados mensalmente a um grupo de gestores que podia disseminar boas práticas para o restante da companhia, assim como auxiliar áreas em dificuldades”, de acordo com a empresa.

Já a chamada Inspeção de Ato Seguro (IAS) visou a criação de rotas feitas por um engenheiro de segurança para avaliar condições seguras, como o uso de Equipamento de Proteção Individual (EPI), sinalização de áreas de trabalho, preenchimento de documentos de segurança, entre outros.

Por sua vez, a investigação de acidentes levou ao registro imediato de alguma eventualidade e à subsequente investigação feita pela equipe de segurança para buscar os motivos e comportamentos que resultaram no acidente.

Já a inspeção técnica de segurança levou à adoção de etiquetas para controle de equipamentos inspecionados. A etiqueta azul indica que a inspeção ocorreu há menos de três meses e a amarela indica um período superior e que uma nova inspeção é necessária.

A Zilor ainda complementa que, conforme as ações do Vida em Foco eram implementadas, as principais mensagens do programa eram reforçadas por meio de campanhas de comunicação.

novaCana.com