PUBLICIDADE
BN novacana 1300x150
Trabalhadores

Inspeção em GO resgata 74 trabalhadores de condições análogas à escravidão em canaviais

Resgatados trabalhavam em plantações de cana-de-açúcar no interior do estado e moravam em locais com condições precárias


O Globo - 12 mai 2022 - 16:10
imae intro
Auditores-fiscais do trabalho resgataram 74 trabalhadores

Uma inspeção de auditores-fiscais do trabalho de Goiás resgatou 74 trabalhadores de condições análogas à escravidão no interior do estado. A operação foi realizada entre os dias 2 e 6 de maio nas cidades de São Simão e Chapadão do Céu.

Todas as 74 pessoas resgatadas trabalhavam em plantações de cana-de-açúcar. Participaram da operação representantes do Ministério Público do Trabalho (MPT), do Ministério Público Federal (MPF), da Defensoria Pública da União (DPU) e da Polícia Federal (PF).

Os 51 trabalhadores resgatados em São Simão haviam sido recrutados em outros estados, como São Paulo, Pernambuco e Piauí, por meio de uma empresa terceirizada que realizava o plantio manual da cana para uma usina de etanol do município.

De acordo com os auditores do trabalho, os trabalhadores ficavam hospedados em um local, que não comportava todos. O alojamento teria chegado a ter 100 trabalhadores residentes.

“Como chegavam do trabalho todos ao mesmo tempo, a estrutura da pousada entrava em colapso, principalmente o sistema elétrico e de fornecimento de água. Com isso, parte deles foi posteriormente levada para outros dois barracos na cidade. Um deles, inclusive, ficava junto a um ponto de prostituição”, afirma o coordenador da operação, Roberto Mendes.

Os alojamentos não tinham camas, limpeza, armários, instalações sanitárias adequadas e nem locais adequados tomada de refeições.

Em Chapadão do Céu, outros 23 trabalhadores foram resgatados em uma fazenda. Eles também trabalhavam em uma plantação de cana-de-açúcar. Eles também vinham de outros estados, como Pernambuco e Maranhão, e foram alojados em locais de condições precárias

Aos trabalhadores de São Simão, foram pagos R$ 500 mil em verbas rescisórias nesta segunda-feira. A Defensoria Pública da União negociou com os empregadores o pagamento de dano moral individual, em valores entre R$ 1.200 a 4 mil para cada um dos resgatados.

Para os 23 trabalhadores de Chapadão do Céu, as verbas rescisórias atingiram um montante de R$ 120 mil, além do dano moral individual, entre R$ 500 a R$ 5 mil para cada um dos empregados.


Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail

PUBLICIDADE


x