PUBLICIDADE
renovacao renovacao
Cana: Safra / Moagem

Produção de açúcar no Centro-Sul deve ser 3,1% maior na segunda quinzena de agosto

Estimativas dos analistas ouvidos pela S&P Global Commodity Insights sugerem produção de açúcar de 3,06 milhões de toneladas


S&P Global Commodity Insights - 12 set 2022 - 16:09 - Última atualização em: 13 set 2022 - 08:03

A produção de açúcar no Centro-Sul do Brasil deve totalizar 3,06 milhões de toneladas na segunda quinzena de agosto, refletindo um aumento de 3,1% no ano. É o que mostra uma pesquisa da S&P Global Commodity Insights feita com dez analistas e divulgada nesta segunda-feira, 12.

Durante o levantamento, a estimativa de moagem de cana para o período variou de 35,8 milhões de toneladas a 46,9 milhões de toneladas. A estimativa média era de uma moagem total de cana de 43,9 milhões de toneladas, alta de 1,5% no ano.

“Todos os olhos estarão no mix de açúcar, que deve indicar se as usinas conseguiram maximizar sua produção de açúcar em meio a interrupções nas chuvas, que atrasaram a colheita”, disse a analista de açúcar da S&P Global Platts, Luciana Torrezan.

Conforme o levantamento, a proporção de cana utilizada para a produção de açúcar deverá ser de 47,52%, acima dos 46,47% do ano anterior.

Os produtores brasileiros aproveitaram o alto preço do etanol durante os estágios iniciais da safra, mas as usinas transferiram mais de sua moagem de cana para a produção de açúcar no período restante da temporada para aproveitar o prêmio do adoçante sobre o etanol.

Em 9 de setembro, a Platts avaliou o etanol hidratado nas usinas de Ribeirão Preto, convertido em açúcar bruto equivalente, a 13,32 centavos de dólar por libra-peso.

Na mesma data, o contrato futuro de açúcar com vencimento em outubro fechou em 18,22 centavos de dólar por libra-peso. Assim, havia um prêmio de 4,90 centavos de dólar sobre o preço do etanol hidratado expresso em açúcar bruto equivalente (sem considerar ganhos com CBios).

De acordo com a Platts, o prêmio do açúcar ante o etanol se aproximaria de 4,30 centavos de dólar se os créditos de descarbonização fossem adicionados ao cálculo.

O levantamento também aponta que o açúcar total recuperável (ATR) por tonelada de cana-de-açúcar deverá ser de 153,91 kg/t na quinzena, uma queda de 0,7% ano a ano.

Já a produção total de etanol da cana-de-açúcar deverá ser de 2,26 bilhões de litros, também com queda de 0,7% no ano.

Dentre deste volume, a produção de etanol hidratado era de 1,36 bilhão de litros, segundo a média das respostas dos analistas à pesquisa. Isso representaria um aumento de 2,9% no ano.

A produção de etanol anidro na segunda quinzena de agosto estava prevista para 903 milhões de litros, queda de 5,5% no ano, segundo o levantamento.

A União da Indústria da Cana-de-açúcar (Única) deve divulgar seus números oficiais de produção nos próximos dias.

Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail

PUBLICIDADE
STOLLER
x