Cana: Safra / Moagem

Paraná deve terminar safra com uma das menores produtividades de cana do Brasil


Agência Udop de Notícias - 11 dez 2012 - 13:42 - Última atualização em: 29 nov -1 - 20:53

Pelo terceiro ano consecutivo, a safra de cana-de-açúcar do estado do Paraná ficará com a produtividade abaixo da média nacional. Em entrevista para a TV UDOP, o presidente da Associação dos Produtores de Bioenergia do Estado do Paraná (Alcopar), Miguel Tranin, faz uma avaliação da atual temporada.

A estimativa para a temporada, que já começa a ser concluída em algumas regiões do estado, deve ser de um processamento de cerca de 40,7 milhões de toneladas de cana, com produtividade média em torno de 62 toneladas por hectare, o que é bastante baixo para o estado que já ficou acima das 87 toneladas por hectare. "Deveremos ter a menor produtividade do país, então isso dificulta muito, dado os baixos preços praticados pelo mercado, principalmente pelo etanol, então isso traz uma dificuldade muito grande para o produtor paranaense", diz.

Segundo Tranin, os canaviais paranaenses sofreram mais uma vez por falta de chuva. "Nossos canaviais ainda estão sofrendo por falta de água. Choveu, mas em pequenos períodos e muito concentradamente, e para somar tivemos altas temperaturas", comenta.

Para vencer as adversidades climáticas, o Paraná tem experimentado novas variedades de cana. "Estamos adaptando algumas variedades, mas ainda cabe um grande estudo disso, já foi levantado através da parceria com a Universidade Federal do Paraná, a pouca profundidade das raízes da cana, então estamos encomendando um estudo mais detalhado para ver os reflexos disso", diz.

O processo de mecanização está presente em 35% dos canaviais paranaenses, o que não significa desemprego daqueles que tinham como função o corte manual da cana. "Assinamos um Protocolo Agroambiental com o governo do estado, justamente porque temos um grande numero de trabalhadores que precisam ser treinados e inseridos no mercado de trabalho da cana ou em outros serviços, então foi feito este contexto de cunho social, econômico e a questão ambiental e da não queima da cana", finaliza o presidente da Alcopar.

Protocolo Agroambiental
A eliminação gradativa da queima da cana no estado do Paraná está prevista na Resolução 076/2010 que compõe o Protocolo Agroambiental. De acordo com a resolução, os plantadores de cana-de-açúcar - que utilizam a queima controlada como método para a despalha - serão obrigados a eliminar a prática, nas áreas mecanizáveis nos seguintes prazos e percentuais: até 31 de dezembro de 2015 deverá ser eliminada a queima da cana em 20% do total da área mecanizável do plantio; até 31 de dezembro de 2020, a queima da cana deverá ser eliminada em 60% do total da área mecanizável e até 31 de dezembro de 2025, os produtores terão que eliminar 100% da queima em área mecanizável do plantio da cana.

Clique aqui e assista a entrevista com o presidente da Alcopar, Miguel Tranin, na TV UDOP.

Greizi Ciotta Andrade


Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail

PUBLICIDADE
STOLLER
x