BASF
Cana: Safra / Moagem

Clima deve fazer safra de cana 2018/19 no centro-sul cair para 580 mi t, diz Datagro


Reuters - 07 nov 2017 - 14:43

O centro-sul do Brasil, maior região produtora de açúcar do mundo, deve registrar uma menor safra de cana no próximo ano em razão de adversidades climáticas, que impactaram o desenvolvimento das plantações, disse a consultoria Datagro nesta terça-feira.

A moagem de cana pelo centro-sul na temporada 2018/19 deve cair para 580 milhões de toneladas, de 601 milhões na safra vigente de 2017/18, volume que, por sua vez, já é inferior na comparação com o do ciclo passado, de 617 milhões de toneladas.

O presidente da Datagro, Plinio Nastari, disse esperar uma grande mudança no mix de produção em favor do etanol, o que levaria a produção de açúcar no centro-sul em 2018/19 a cair para 32,6 milhões de toneladas, ante uma projeção revisada de 36,4 milhões de toneladas para 2017/18.

“Tivemos até 120 dias sem chuvas em algumas áreas neste ano. Isso causou incêndios e desenvolvimento irregular dos canaviais”, disse Nastari a repórteres nesta terça-feira durante uma conferência da indústria em São Paulo.

Etanol

Apesar de uma safra de cana e de uma produção de açúcar menores, a Datagro projeta uma produção estável de etanol de cana no próximo ano, em 25,3 bilhões de litros, já que as usinas devem alocar maior parcela de matéria-prima para o biocombustível.

A consultoria prevê um mix de 44 por cento da oferta de cana para produção de açúcar em 2018/19, ante 47 por cento na temporada atual.

“Estamos surpresos em ver quão rápido as usinas mudaram o mix recentemente”, afirmou Nastari.

As usinas no Brasil têm reduzido a produção de açúcar e elevado a fabricação de etanol desde que o biocombustível passou a dar melhores retornos.

As unidades têm certa flexibilidade para alterar o mix de produção, geralmente indo de um mínimo de 40 por cento para um máximo de 60 por cento para produção de etanol.

Considerando a produção menor no centro-sul, a Datagro reduziu sua projeção de superávit global de açúcar no ciclo 2017/18 (outubro a setembro). A consultoria cortou sua estimativa anterior de um excedente de 2,95 milhões de toneladas (valor bruto) para um de 430 mil toneladas.

Marcelo Teixeira

Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail