BASF
Cana: Plantio

Soja é opção para recuperar solo de canavial no noroeste de São Paulo

Grão tem substituído amendoim, antes usado pelos agricultores para equilibrar reservas de minerais do solo. Prática diminui tempo de espera até novo plantio da cana


G1 - 24 abr 2017 - 10:05

O noroeste de São Paulo responde por quase 20% de toda a cana-de-açúcar do Brasil. A área cultivada ocupa mais de 1 milhão de hectares. Roney Cabreira planta cana no município de Novais. Todo ano, depois da colheita, ele separa 25% da área para fazer a chamada reforma do canavial, conhecida também por rotatividade de cultura.

Ela é importante para recuperar o solo após um longo período de desgaste com a plantação de uma mesma lavoura, o que causa um desequilíbrio nas reservas de minerais.

O amendoim tem sido ao longo do tempo a escolha de muitos agricultores para reformar o canavial. Mas pesquisas feitas pela Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (Apta), mostram que o plantio direto da soja sobre a palha da cana traz vários resultados positivos para o solo.

No cultivo direto da soja, é possível diminuir o tempo de espera até o novo plantio da cana. Com o amendoim, são necessários quase cinco meses do plantio à colheita. Já na soja, o tempo é de pouco mais de três meses.

Luiz Antônio Canônico Júnior foi um dos primeiros agricultores da região Noroeste a fazer esse tipo de plantio. Ele está indo para o terceiro ano e diz que não se arrepende. O agricultor destaca que trabalhar dessa forma permite rapidez no plantio e um aproveitamento melhor da umidade do solo.