Cana: Plantio

Parlamentares vão apresentar proposta de novo zoneamento da cana-de-açúcar


Agência Brasil - 12 mar 2013 - 18:20 - Última atualização em: 29 nov -1 - 20:53

Nas próximas semanas, parlamentares da Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural do Congresso Nacional vão apresentar proposta para novo zoneamento da cana-de-açúcar no país. As atuais regras restringem a expansão do plantio de cana nos biomas Amazônia e Pantanal e na Bacia Hidrográfica do Alto Paraguai.  As normas estão previstas no Projeto de Lei (PL) 6077 de 2009 e no Decreto 6.961 de 2008

Para alguns deputados e senadores ligados ao setor, os produtores de cana precisam de mais áreas de cultivo. Representantes da Subcomissão Especial para Avaliação do Zoneamento Agroecológico da Cana-de-Açúcar alegam que a produção no país não é suficiente para atender ao mercado de biocombustíveis e o país está lançando mão da importação em decorrência da carência de investimentos e redução da oferta no mercado nacional.

Hoje (12), 13 parlamentares tentaram, mais uma vez, flexibilizar a posição do governo, mas, durante uma reunião no final da manhã, a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, reforçou que o Executivo mantém o entendimento de quatro anos atrás. "O governo enviou o projeto de lei em 2009 para tratar o assunto. Na época, o setor produtivo avaliou que aquela era a área necessária para a expansão da cana, com a ressalva de não produzir na Amazônia, provocando novos desmatamentos, nem gerar degradação ambiental na Bacia do Alto Paraguai ou no Pantanal", disse a ministra.

Apesar de reiterar o posicionamento do governo, Izabella Teixeira não descartou uma nova rodada de diálogo. Segundo ela, depois que o Congresso Nacional concluir a proposta, o governo vai analisar os detalhes em grupos de estudos técnicos. "Faremos os estudos necessários, junto com o Ministério da Agricultura e o Ministério do Desenvolvimento Agrário. Vamos trabalhar tecnicamente", disse.

Para o presidente interino da Frente Parlamentar Agropecuária (FPA), deputado Luiz Carlos Heinze (PP-RS), a revisão das regras é indispensável. Heinze garantiu que o setor não pretende devastar áreas para alcançar a produção necessária visando a atender a demanda doméstica e manter as exportações do produto.

"Temos um projeto [de usina de cana-de-açúcar] parado em Rondônia e um em Roraima e tem o pessoal de Mato Grosso e do Pará questionando a situação. Ninguém fala em avançar um metro em áreas a serem desmatadas. O que a gente fala é sobre áreas onde já existe agricultura ou regiões de cerrado, como existem em Rondônia. Seriam situações de revisão do zoneamento", argumentou.

Carolina Gonçalves


Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail