BASF
Cana: Plantio

Dow e Mitsui ampliam a produção de cana no triângulo mineiro


Diário do Comércio - MG - 07 fev 2013 - 16:22 - Última atualização em: 08 fev 2013 - 13:57

Mesmo com a segunda etapa da construção da fábrica de "plástico verde", em Santa Vitória, no Triângulo Mineiro, parada, a companhia americana Dow Chemical Company e a trading japonesa Mitsui & Co seguem na busca por novas áreas para plantação de cana-de-açúcar.

O objetivo é o de ampliar as áreas cultivadas pela empresa em 10 mil hectares somente neste ano para chegar aos 60 mil hectares ao final do processo de implantação do empreendimento.

Atualmente, são 20 mil hectares. Os representantes da empresa estiveram ontem (06) reunidos com o prefeito Genésio Franco de Moraes Neto para divulgar os planos e pedir apoio na realização de um levantamento sobre áreas disponíveis na região.

Segundo o prefeito, a empresa já havia, inclusive, iniciado o estudo por conta própria. Conseguiram mapear até o momento todas as estradas vicinais da cidade.

"A maior preocupação do grupo é a de fazer tudo dentro da legalidade para conseguir licenciamentos ambientais. Por isso ela já está fazendo os estudos", afirma.

A promessa é de que até março ainda sejam contratados cerca de 300 trabalhadores para a área de irrigação e outras 500 para atuarem em serviços gerais. Hoje, atuação do grupo empresarial no município está restringida ao cultivo de 20 mil hectares de cana-de-açúcar.

A primeira colheita deverá ser processada em 2014, conforme estimativas da própria empresa. Essa primeira fase que está em andamento inclui também a construção da primeira fábrica de etanol.

Somente para a área agrícola há um investimento estimado para este ano da ordem de R$ 150 milhões.

Já a segunda fase, que foi paralisada e não tem data para ser retomada, inclui a construção e operação de plantas de manufatura para transformar etanol em etileno, e etileno em polímeros. Ou seja, é a construção da fábrica de plásticos, propriamente dita.