Cana: Plantio

Brasil pode expandir área de produção de cana de modo sustentável, diz diretor do Mapa


novaCana.com - 19 nov 2012 - 16:32 - Última atualização em: 20 nov 2012 - 15:30
Cid Caldas Ministério da Agricultura
O diretor de Cana-de-Açúcar e Agroenergia do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa), Cid Caldas, acredita que o Brasil deve ampliar sua área de cultivo de cana-de-açúcar.

"O Brasil tem condições de expandir sua área de produção de matérias-primas para a produção de biocombustível de modo sustentável em três aspectos: econômico, social e ambiental", disse Caldas ao portal NovaCana.com.

De acordo com Caldas, o trabalho de zoneamento da cana-de-açúcar feito pelo Ministério da Agricultura identificou no Brasil uma área possível de expansão de cultura de 63 milhões de hectares, sem a necessidade de abertura de novas áreas.

Hoje o Brasil produz cana-de-açúcar em uma área total de nove milhões de hectares; cerca de metade dessa cana vai para a produção de açúcar, e a outra metade para o etanol. "Se nós dobrarmos a produção de cana destinada à produção de etanol, estamos falando de cerca de cinco milhões de hectares. Ou seja, menos de 10% do que identificamos como área possível de expansão, com cuidado ambiental e social", afirmou Caldas.

Caldas participou recentemente do 4º Seminário Internacional Açúcar Ético, em Dourados (MS), nos dias 8 e 9 de novembro. No evento, foram discutidos temas relacionados aos fatores econômicos, socioculturais e ambientais do setor sucroenergético.

Ele abordou a expansão da cultura da cana no país, e seus impactos econômicos, sociais e ambientais, além de ter apresentado perspectivas para o setor até 2020.

Meio ambiente
Sobre a preocupação de que a produção de etanol estimula o desmatamento da Amazônia, Caldas disse que é possível ver em mapas que as plantações ficam a mais de 2500 km de distância da floresta.

O diretor vai participar de um seminário promovido pela Organização Internacional do Açúcar (ISO, na sigla em inglês), entre os dias 26 e 30 de novembro, em Londres. O objetivo do evento é debater a produção de açúcar e seu potencial de crescimento para as indústrias no mundo.

"Na ocasião, vamos discutir qual é o futuro do mercado de açúcar no mundo, quais são as suas perspectivas", disse Cid Caldas ao novaCana. "O Brasil é o maior produtor e exportador de açúcar, e o segundo maior produtor de etanol. Então, o país tem importância nessa organização", lembrou Caldas.

Durante o seminário da Organização Internacional do Açúcar em Londres, representantes de Brasil, Tailândia, Índia, União Europeia debaterão o futuro e as opções estratégicas e políticas dos grandes produtores desse mercado. O encontro também trará informações sobre o papel das grandes tradings que trabalham neste produto agroindustrial.

novaCana.com
Tags: novaCana.com