Cana: Mercado

Os canaviais mais valiosos do Brasil em 2017


novaCana.com - 01 nov 2018 - 09:06 - Última atualização em: 17 dez 2019 - 14:38

O produtor quer sempre fazer bom uso da sua terra. Assim, quando ele decide plantar cana, a maior preocupação é quanto de dinheiro ele receberá depois da colheita. As particularidades do setor sucroenergético fazem com que o preço da cana sofra muita variação, especialmente entre uma cidade e outra. Entender essas diferenças pode ser decisivo para saúde financeira dos canavieiros.

O retorno financeiro dos canaviais foi analisado pelo novaCana através do valor pago pela tonelada de cana em cada município em 2017 e dos hectares de área colhida. Dessa forma, foi possível extrair quanto foi pago por cada hectare em todas as cidades produtoras de cana do Brasil.

Na média nacional, os canaviais renderam R$ 5.323 por hectare em 2017, 5,47% a mais do que no ano anterior. No período, o valor médio pago pela tonelada de cana foi de R$ 71, frente aos R$ 64/t de 2016. No entanto, como apresentado no início, as variações entre as cidades são enormes.

Um dos fatores que justifica esse aumento está nos indicadores como o de ATR por tonelada, que expressa a qualidade industrial da cana e influencia diretamente no preço pago aos produtores. Conforme dados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), o ATR médio subiu de 133,73 kg/t para 137,52 kg/t entre as temporadas 2016/17 e 2017/18.

Os dados do IBGE referem-se ao período de janeiro a dezembro de 2017 e englobam a cana vendida para todos os fins, não somente para a produção de açúcar e etanol.

Evolução nos estados

Dentre os estados que produziram mais de 2 milhões de toneladas de cana em 2017, o Maranhão é o que mais gerou receita com seus canaviais: cada hectare plantado de cana rendeu R$ 8.112. Esse retorno financeiro é quase o dobro do obtido em 2016, quando cada hectare gerou R$ 4.310, uma diferença de 88,21%. O valor no estado ficou 52,4% superior à média nacional.

O inusitado deste resultado é que Maranhão não está entre os estados mais produtivos do país, ficando em 14º lugar no ranking estadual geral. Em 2017, a quantidade de cana produzida foi de 2,49 milhões de toneladas em uma área de 45,5 mil hectares.

IBGE 3 ranking canaviais valiosos 1 08102018

Para efeitos comparativos é preciso considerar que Goiás, o segundo colocado no ranking desse ano, moeu 71,38 milhões de toneladas de cana em uma área plantada de 922,8 mil hectares – números mais expressivos que demonstram um melhor rendimento agrícola. Além disso, o valor pago pela tonelada de cana no Maranhão foi de R$ 149,00, enquanto em Goiás foram pagos R$ 84,00/t.

Assim, no estado do Centro-Oeste, cada hectare plantado rendeu R$ 6.462,00, montante 1,68% superior ao registrado em 2016. Desde 2013, Goiás possui o canavial mais valioso entre os cinco estados que mais produzem cana no país: São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e Paraná. Entre estes cinco estados, aliás, a geração de receita por hectare varia de forma intensa, de R$ 4.400/ha a R$ 6.462/ha.

IBGE 3 ranking canaviais valiosos estados 3 08102018

As 100 cidades com os canaviais mais valiosos

No ranking municipal, entre as 100 cidades com canaviais mais rentáveis, 53 são paulistas, 20 mineiras, 18 goianas, três sul-mato-grossenses e duas norte-rio-grandenses. Paraíba, Pernambuco, Maranhão, Alagoas e Bahia possuem apenas uma cidade na lista.

Para a elaboração do ranking, o novaCana considerou apenas municípios com produção acima de 300 mil toneladas de cana-de-açúcar em 2017. A relação completa com todos os municípios do Brasil está disponível no novaCana DATA.

IBGE 3 ranking canaviais valiosos 100cidades 4 08102018

A primeira cidade no ranking de produção é maranhense: Coelho Neto. Com canavial rendendo R$ 16.555 por hectare plantado, a cidade é seguida pela mineira Jaíba, com canaviais que geraram R$ 12.444/ha. O valor da tonelada de cana, por sua vez, foi de R$ 293 em Coelho Neto e R$ 158 em Jaíba.

Ambas tiveram crescimentos significativos nos últimos anos. Coelho Neto registrou, no ano passado, R$ 4.816/ha, enquanto Jaíba vem apresentando aumentos anuais graduais. Em 2014, os canaviais do município rendiam R$ 7.332/ha, passando para pouco mais de R$ 11.000/ha nos dois anos seguintes.

 

Em seguida, o ranking traz Formosa (GO), com R$ 10.320/ha, e Uru (SP), com R$ 10.200/ha. Nestes municípios, a tonelada da cana foi comercializada por R$ 86 e R$ 120, respectivamente.

Dentre as cidades que mais produziram cana em 2017 – Uberaba (MG), Barretos (SP), Rio Brilhante (MS), Quirinópolis (GO) e Morro Agudo (SP) – o rendimento dos canaviais variou entre R$ 6.701/ha e R$ 5.565/ha.

IBGE 3 ranking canaviais valiosos cidades 2 08102018

O ranking completo de estados e municípios está disponível no novaCana DATA. A planilha inclui a evolução dos índices ao longo dos anos em gráficos interativos.

Gabrielle Rumor Koster – novaCana.com


Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail