Cana: Meio ambiente

Usina Delta é multada em quase R$ 100 mil por incêndio na zona rural de Uberaba (MG) [atualizada]

Na denúncia, referente a 2015, Promotoria apresentou imagens do momento em que funcionários da empresa colocam fogo no canavial para facilitar a colheita da cana


G1 - 12 jan 2021 - 10:05 - Última atualização em: 12 jan 2021 - 16:20

Atualização (12/01, às 16h20): A Delta Sucroenergia enviou uma nota ao novaCana, onde apresenta sua versão dos acontecimentos. O texto abaixo foi alterado para incluir estas informações.

A Usina Delta foi condenada a pagar multa por provocar incêndio em matas na zona rural de Uberaba há quase seis anos. Segundo a denúncia do Ministério Público (MP), em outubro de 2015, a empresa teria provocado um incêndio que ocasionou na queima de 324 hectares de lavoura de cana-de açúcar, 37 hectares de mata e 16 hectares de áreas de preservação permanente em duas fazendas da região.

A condenação é equivalente a 120 salários-mínimos, com o valor vigente em 2015, o que equivale a quase R$ 100 mil.

Ao novaCana, a Delta Sucroenergia reforça que o incêndio ocorreu em 2015 e nega que o fogo tenha sido iniciado pela companhia. Na ocasião, conforme detalha por meio de nota, um vizinho da propriedade teria avisado a usina, que deslocou uma equipe de combate ao local, incluindo oito caminhões pipas e 25 colaboradores.

“Controlado o incêndio, a própria Delta Sucroenergia acionou a Polícia Militar do Meio Ambiente, que compareceu no local e registrou o fato, comparecendo também equipe do Corpo de Bombeiros Militar”, relata a companhia.

Ainda segundo a usina, houve um pedido de arquivamento do inquérito policial pelo Delegado de Polícia que apurou o caso, mas o Ministério Público optou por fazer a denúncia. De acordo com a companhia, não haveria “qualquer fundamento” para acusar a Delta como autora do incêndio e a condenação seria “equivocada”.

Denúncia

Na denúncia, a Promotoria de Justiça de Defesa do Meio Ambiente de Uberaba apresentou imagens feitas por uma testemunha do momento em que funcionários da empresa colocam fogo no canavial.

Segundo o que foi apurado, o objetivo das queimadas seria facilitar a colheita da cana-de açúcar, mas o incêndio saiu fora de controle, e de acordo com o MP, causou grandes prejuízos ambientais.

A Delta nega esta acusação e afirma que não utiliza fogo para despalhe de cana-de-açúcar desde 2011, quando passou a realizar colheita mecanizada.

“O que houve foi a utilização, pela Delta, da técnica de contrafogo, que é a utilização do fogo para combater o fogo, conforme treinamento ministrado pelo Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais”, afirma a companhia, que segue: “Tão logo seja conhecido o teor da sentença, a Delta apresentará os recursos cabíveis no intento de sanar o equívoco objeto da condenação, confiando da seriedade da Justiça”.

A empresa ainda afirma que desenvolve diversos programas sócios-ambientais e de campanhas educativas, não concordando com ações desta natureza.

Multa

Na decisão, a justiça condenou a empresa ao pagamento de multa de 120 salários-mínimos, com o valor vigente em 2015, o qual era R$ 788, equivalendo então a R$ 94.560.

O valor da multa deverá ser destinado ao projeto municipal Preserve, que desenvolve ações de conscientização ambiental, e à Área de Proteção Ambiental (APA), destinada à conservação da biodiversidade nos parques e matas do município, bem como o Rio Uberaba.