Cana: Meio ambiente

Operação em Limeira (SP) apura supostas irregularidades no plantio de cana

Segundo a Promotoria, vegetação está mais próxima a residências do que o permitido em lei. Inquérito apura eventual danos à vegetação e possível queima irregular da palha da cana


G1 - 23 jun 2021 - 15:12
Proximidade entre área residencial e plantação de cana-de-açúcar foi alvo de apuração em Limeira (SP)

Uma operação conjunta entre Polícia Militar Ambiental e Ministério Público do Estado de São Paulo (MP-SP) apura supostas irregularidades na exploração do plantio de cana, em Limeira (SP), nesta quarta-feira, 23.

A Operação Huracan II tem como objetivo reforçar a prevenção de queimadas ou incêndios florestais e, consequentemente, minimizar os impactos que eles acarretam ao meio ambiente e à saúde pública.

Os trabalhos têm abrangência estadual e nesta quarta é realizada em Limeira (SP), Iracemápolis (SP) e nas proximidades de Cordeirópolis (SP).

“A finalidade é buscar apuração de irregularidades em relação à utilização do fogo, uso dos canaviais e nós temos aqui dois grandes bairros residenciais, Roland 1 e 2, que a queimada chegou próxima às casas. Identificamos que o canavial está muito próximo ao muro das residências. Determina-se 15 metros de distância. Pegamos o plantio de cana a seis, sete metros, inclusive próximo à rodovia Limeira-Cordeirópolis”, explicou o promotor de Justiça e Defesa do Meio Ambiente de Limeira, Luiz Alberto Segalla Bevilacqua.

Um inquérito civil foi aberto em setembro de 2020 para apurar eventual danos à vegetação e possível queima irregular de palha de cana de açúcar.

Segundo o inquérito, em 8 de junho de 2020, nas imediações dos Condomínios Residenciais Roland 2 e 3, a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) identificou a ocorrência de queima da palha da cana em uma área de aproximadamente 13 hectares, o que gerou fumaça e fuligem e causou incômodo à população, embora não tenha sido verificada morte de animais ou destruição da flora.

Já nos dias 21 e 24 de agosto de 2020, uma vistoria do Departamento de Planejamento Territorial (Deplan) de Limeira identificou cerca de sete focos de incêndio e queima de cerca de 1,89 hectares de vegetação.

O órgão também destacou que, dentro de um raio de três quilômetros do local, há três prédios de serviços de saúde e socioassistencial: a Unidade Básica de Saúde do Jardim Santo André, o Centro de Controle de Zoonoses e o Recanto dos Idosos.

Com as informações colhidas nesta quarta-feira, segundo Bevilacqua, a responsável pela terra será chamada para prestar esclarecimentos.