Cana: Meio ambiente

Incêndio interdita estradas, atinge três cidades de MG e destrói quase mil hectares

A fumaça chegou a fechar duas rodovias, MGC-452 e BR-365, entre Tupaciguara, Uberlândia e Monte Alegre; duas residências correram risco


Estado de Minas - 14 set 2021 - 08:11
Maior parte da queimada ocorreu no município de Tupaciguara (MG)

Quase mil hectares de plantações e matas ciliares foram queimadas por um grande incêndio nesta segunda-feira, 13, entre os municípios de Tupaciguara, Uberlândia e Monte Alegre de Minas. Duas rodovias foram fechadas total ou parcialmente durante a tarde, em momentos distintos, por causa da fumaça que atrapalhava o tráfego.

O fogo foi percebido no fim da manhã, próximo à rodovia MGC-452, e espalhou por um canavial de uma usina em Tupaciguara. As chamas chegaram ao trevo de Xapatuba e se estendeu para áreas ao lado da BR-365.

A rodovia estadual foi fechada em vários pontos para evitar acidentes de trânsito, uma vez que a visibilidade se tornava baixa devido à densidade da fumaça. A rodovia federal ficou bloqueda na altura do trevo entre 12h20 e 13h30 desta segunda.

O combate era feito pelo Corpo de Bombeiros, brigadistas da concessionária responsável pela BR-365 e, principalmente, por uma junção de empresas e fazendeiros da região com 20 caminhões-pipa e mais de 40 pessoas que buscavam apagar o fogo. Esses voluntários fizeram asseiros para evitar a propagação da queimada.

Pelo menos duas casas de propriedades rurais correram risco com o incêndio, mas ninguém se feriu.

Além de áreas de matas ciliares e outras de preservação permanente, foram destruídos 700 hectares de plantação de cana-de-açúcar ainda de pé, 200 hectares de palhas e 100 hectares de outros tipos, como pastagens. Não existe informação se a queimada foi criminosa.

De acordo com o Corpo de Bombeiros de Araguari, cujo batalhão atendeu à ocorrência, o vento forte na região e a estiagem foram os maiores dificultadores no combate. As chamas foram controladas no fim desta tarde.

Faltando ainda cerca de um mês para o fim da temporada mais seca na região, o número de queimadas registradas até agora se aproxima de 75% do total de atendimentos do tipo em 2020.

Vinícius Lemos