Cana: Meio ambiente

Empresa de TO é multada em R$ 263 mil após quinto flagrante de queima de cana

Queimada ocorreu durante o período em que mesmo as chamas controladas são proibidas no estado; fogo atingiu uma área de 263 hectares


G1 - 17 set 2021 - 12:21

Uma empresa agrícola instalada em Pedro Afonso (TO) foi multada em R$ 263 mil por realizar uma queimada para facilitar a colheita da cana-de-açúcar. A medida foi aplicada pelo Conselho Estadual do Meio Ambiente (Coema), seguindo parecer do Ministério Público do Tocantins (MPTO).

De acordo com a promotoria, esta é a quinta vez que a mesma empresa é flagrada usando o fogo ilegalmente no processo de colheita da safra.

A decisão do Conema é desta quinta-feira, 16, mas o flagrante da queimada foi em setembro de 2015, no período em que mesmo queimas controladas ficam proibidas. Na época, o fogo atingiu uma área de 263 hectares (aproximadamente 368 campos de futebol).

O MP informou que, na data da queimada, a empresa dispunha de um caminhão-pipa que poderia ter ajudado no combate, mas que não foi acionado. A colheita da cana começava logo após o incêndio terminar. A prática é vedada pelo Código Florestal brasileiro.

Não cabe mais recurso para esta multa, uma vez que o Conema é o órgão máximo sobre estas questões no Tocantins. Outros quatro processos referentes a outros flagrantes seguem em análise.

Pedro Afonso é o epicentro de uma importante região agrícola no centro-norte tocantinense. A cidade é produtora de soja, milho e também de combustíveis baseados na cana-de-açúcar.


Acompanhe as notícias do setor

Assine nosso boletim

account_box
mail